Fator Cronológico na Credibilidade do Evolucionismo entre os Discentes da Universidade Severino Sombra

  • Maria das Graças Avila Guimarães
  • Catia Maria Diogo
  • Francelle Piedade Avelar Silva
  • Ulisses Gonçalves Teixeira
  • Renata Fraga Pinheiro
  • Marise Maleck de Oliveira Cabral
Palavras-chave: Charles Darwin, Evolução, Educação

Resumo

Os conceitos evolucionistas começaram a se fundamentar a partir de Descartes, Buffon, Lamarck e Darwin e ao mesmo tempo despertaram as contradições das doutrinas criacionistas. A credibilidade do evolucionismo por faixa etária dos alunos de graduação da Universidade Severino Sombra (USS), nas diferentes áreas do saber foi o objeto deste trabalho. A população discente se concentrou na faixa etária entre 20 a 24 anos em que predomina o acreditar em ideias evolucionistas, não se podendo avaliar se estes posicionamentos independem da divulgação ou do ensino do criacionismo introduzido há algum tempo nas escolas públicas de alguns estados brasileiros. Pode-se inferir, a partir deste estudo, um grande desconhecimento sobre a teoria científica evolucionista entre os discentes dos cursos superiores pesquisados na USS.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Behe, M. J. (1997) A Caixa Preta de Darwin. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

Castaneda, L. A. História natural e as idéias de geração e herança no século XVIII: Buffon

e Bonnet. Hist. cienc. saude-Manguinhos [online]. 1995, vol.2, n.º 2, pp. 33-50. ISSN

-5970. Recuperado em 20 novembro de 2009 de http://www.scielo.br/pdf/hcsm/

v2n2/a03v2n2.pdf

Fedeli, O.; Vanini, F.; Vanini, M. M.; Oliveira, D. A. (2003). Evolucionismo: dogma

científico ou tese teosófica?Associação Cultural Montfort. Recuperado em 16 março

de 2011 de http://www.montfort.org.br

Ferreira, M. A. (2007). Transformismo e Extinção: de Lamarck a Darwin. Tese de

Doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP. Recuperado em 20 de março de

de http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/diaadia/diadia/arquivos/File/ conteudo/

artigos_teses/2010/Biologia/teses/lamarck_darwin.pdf.

Maia, H. L. S. (2004) Criacionismo vs. Evolucionismo Other Titles: da ciência e da

cultura Porto: Edições Universidade Fernando Pessoa. CTEC ConsCiências: actas

do Fórum Internacional Ciência, Religião e Consciência.ISSN 1645-6564. 2

(2005) 363-368. Recuperado em 11 junho 2009 de http://ufpbdigital.ufp.pt/dspace/

bitstream/10284/784/3/363-368Cons-Ciencias% 2002 -11.pdf

Pino, A. (2009) Ciência e educação: a propósito do bicentenário do nascimento de Charles

Darwin. Revista Ciência e Educação, Vol.30, n.º108. Recuperado em 15 de março de

de endereço: http://scielo.br/pdf/es/ v30n108/a1130108.pdf

Pinheiro, A.(2000). Evolucionismo: mais do que teoria científica, um sistema metafísico.

Ciência e Fé. Morfort. Recuperado em 15 fevereiro de 2012 de http://www.montfort.

org.br

Souza, R.F., Carvalho, M., Matsuo, T. e Zaia, D. A.M. (2009). Evolucionismo x

Criacionismo: aceitação e rejeição no século 21. Revista Ciencia Hoje Rio de Janeiro:

SBPC, V.43, n.º 256, pág 36-41.

Teilhard de Chardin. P. (1955). Le phénomene humain. Paris: Éditions du Seuil.Recuperado

em 21 novembro de 2009 de www.ubest1.com/ebook/GNU_Reader_1309471722.pdf

Publicado
2016-11-17