Alterações capilaroscópicas periungueais da forma adulta da dermatomiosite: Revisão de literatura

  • Thaynah Pisani Lisboa
  • Carlos Augusto Ferreira de Andrade
  • Verônica Silva Vilela

Resumo

A capilaroscopia do leito ungueal, método não invasivo, seguro e de baixo custo, é capaz de evidenciar a microangiopatia característica das doenças reumáticas, dentre as quais a dermatomiosite, miopatia inflamatória idiopática que acomete crianças e adultos e cursa com fraqueza muscular proximal e simétrica e presença de determinadas lesões cutâneas típicas como o heliotropo e o sinal/pápula de Gottron, além do acometimento de outros órgãos, como os pulmões. Considerando o heterogêneo grupo das miopatias inflamatórias idiopáticas e os relativamente poucos exames capilaroscópicos na dermatomiosite, especialmente na sua forma adulta, é de interesse buscar evidências científicas na literatura para homogeneizar os achados dos diferentes autores de maneira a auxiliar no diagnóstico e manejo destes pacientes. Revisar a literatura quanto à associação entre alterações capilaroscópicas, gravidade, atividade de doença, e relações entre achados capilaroscópicos e características imunológicas ou clínicas. Revisaram-se artigos publicados no período de 2005 a 2015 nos bancos de dados do PUBMED e SciELO em ambas as línguas inglesa e portuguesa excluídos os relativos à dermatomiosite juvenil. Os achados parecem apoiar o conceito que as alterações capilaroscópicas periungueais associam-se a pertinentes aspectos da dermatomiosite como o envolvimento pulmonar, sendo tal exame possível ferramenta adicional útil para seguimento e avaliação da resposta ao tratamento. Encorajam-se futuros estudos que explanem e refinem as peculiaridades metodológicas a verificar tais resultados para que a utilização deste método promissor de análise microvascular seja implementado nos serviços.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Cutolo M, Sulli A, Secchi ME. Nailfold capillaroscopy is useful for the diagnosis and follow-up of autoimmune rheumatic diseases. A future tool for the analysis of microvascular heart involvement? Rheumatology. 2006;45(4):43-6.

Cutolo M, Smith V. State of the art on nailfold capillaroscopy: A reliable diagnostic tool and putative biomarker in rheumatology? Rheumatology. 2013;52(11):1933-1940.

Cortes S, Cutolo M. Capillaroscopic patterns in rheumatic diseases. Acta Reumatol Port. 2007;31(2):31.

Wu P, Huang M, KuoY. Clinical applicability of quantitative nail fold capillaroscopy in differential diagnosis of connective tissue diseases with Raynaud’s Phenomenon. J Formos Med Assoc. 2013;112(8):482-8.

Selva-O’Callaghan A, Fonollosa-Pla V, Trallero-Araguas E. Nail fold capillary microscopy in adults with inflammatory myopathy. Semin Arthritis Rheum. 2010;39:398–404.

Mugii N, Hasegawa M, Matsushita T. Association between nail fold capillary findings and disease activity in dermatomyositis. Rheumatology. 2011;50:1091-8.

Riccieri V, Vasile M, Macri V. Successful immunosuppressive treatment of dermatomyositis: a nail fold capillaroscopy survey. J Rheumatol. 2010;37(2):443-5.

Mercer Lk, Moore Tl, Chinoy H. Quantitative nail fold video capillaroscopy in patients with idiopathic inflammatory myopathy. Rheumatology. 2010;49:1699–705.

Publicado
2017-08-31
Como Citar
Lisboa, T. P., de Andrade, C. A. F., & Vilela, V. S. (2017). Alterações capilaroscópicas periungueais da forma adulta da dermatomiosite: Revisão de literatura. Revista De Saúde, 8(1 S1), 04-05. Recuperado de http://editora.universidadedevassouras.edu.br/index.php/RS/article/view/989
Seção
Resumo - Suplemento