Alterações capilaroscópicas periungueais da forma adulta da dermatomiosite: Revisão de literatura

  • Thaynah Pisani Lisboa
  • Carlos Augusto Ferreira de Andrade
  • Verônica Silva Vilela

Resumo

A capilaroscopia do leito ungueal, método não invasivo, seguro e de baixo custo, é capaz de evidenciar a microangiopatia característica das doenças reumáticas, dentre as quais a dermatomiosite, miopatia inflamatória idiopática que acomete crianças e adultos e cursa com fraqueza muscular proximal e simétrica e presença de determinadas lesões cutâneas típicas como o heliotropo e o sinal/pápula de Gottron, além do acometimento de outros órgãos, como os pulmões. Considerando o heterogêneo grupo das miopatias inflamatórias idiopáticas e os relativamente poucos exames capilaroscópicos na dermatomiosite, especialmente na sua forma adulta, é de interesse buscar evidências científicas na literatura para homogeneizar os achados dos diferentes autores de maneira a auxiliar no diagnóstico e manejo destes pacientes. Revisar a literatura quanto à associação entre alterações capilaroscópicas, gravidade, atividade de doença, e relações entre achados capilaroscópicos e características imunológicas ou clínicas. Revisaram-se artigos publicados no período de 2005 a 2015 nos bancos de dados do PUBMED e SciELO em ambas as línguas inglesa e portuguesa excluídos os relativos à dermatomiosite juvenil. Os achados parecem apoiar o conceito que as alterações capilaroscópicas periungueais associam-se a pertinentes aspectos da dermatomiosite como o envolvimento pulmonar, sendo tal exame possível ferramenta adicional útil para seguimento e avaliação da resposta ao tratamento. Encorajam-se futuros estudos que explanem e refinem as peculiaridades metodológicas a verificar tais resultados para que a utilização deste método promissor de análise microvascular seja implementado nos serviços.

Referências

Cutolo M, Sulli A, Secchi ME. Nailfold capillaroscopy is useful for the diagnosis and follow-up of autoimmune rheumatic diseases. A future tool for the analysis of microvascular heart involvement? Rheumatology. 2006;45(4):43-6.

Cutolo M, Smith V. State of the art on nailfold capillaroscopy: A reliable diagnostic tool and putative biomarker in rheumatology? Rheumatology. 2013;52(11):1933-1940.

Cortes S, Cutolo M. Capillaroscopic patterns in rheumatic diseases. Acta Reumatol Port. 2007;31(2):31.

Wu P, Huang M, KuoY. Clinical applicability of quantitative nail fold capillaroscopy in differential diagnosis of connective tissue diseases with Raynaud’s Phenomenon. J Formos Med Assoc. 2013;112(8):482-8.

Selva-O’Callaghan A, Fonollosa-Pla V, Trallero-Araguas E. Nail fold capillary microscopy in adults with inflammatory myopathy. Semin Arthritis Rheum. 2010;39:398–404.

Mugii N, Hasegawa M, Matsushita T. Association between nail fold capillary findings and disease activity in dermatomyositis. Rheumatology. 2011;50:1091-8.

Riccieri V, Vasile M, Macri V. Successful immunosuppressive treatment of dermatomyositis: a nail fold capillaroscopy survey. J Rheumatol. 2010;37(2):443-5.

Mercer Lk, Moore Tl, Chinoy H. Quantitative nail fold video capillaroscopy in patients with idiopathic inflammatory myopathy. Rheumatology. 2010;49:1699–705.

Publicado
2017-08-31
Como Citar
Lisboa, T. P., de Andrade, C. A. F., & Vilela, V. S. (2017). Alterações capilaroscópicas periungueais da forma adulta da dermatomiosite: Revisão de literatura. Revista De Saúde, 8(1 S1), 04-05. Recuperado de http://editora.universidadedevassouras.edu.br/index.php/RS/article/view/989
Seção
Resumo - Suplemento