CANCÊR DE COLO UTERINO METASTATICO – RELATO DE CASO

  • Rodrigo Lomanto De Góes Brito
  • Oswaldo Aparecido Caetano
Palavras-chave: “Relato De Caso”, “Câncer de Colo Uterino”, “Metástase”, “Carcinoma de Células Escamosas”.

Resumo

O câncer de colo de útero é uma lesão invasiva intracervical ocasionada principalmente pelo HPV, devido a alterações celulares causadas pelo vírus são facilmente descobertas pelo exame de preventivo (conhecido também como Papanicolau) e são curáveis na quase totalidade dos casos. Afeta em sua maioria mulheres entre 40 e 60 anos de idade, sendo uma doença demorada, podendo levar de 10 a 20 para se desenvolver. É o terceiro tumor mais frequente na população feminina, sendo a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil. Existem 2 tipos principais, o carcinoma de células escamosas, sendo cerca de 90% dos casos, e o adenocarcinoma. A justificativa para realização desse caso se deve a quantidade de lesões metastáticas cerebrais e a evolução rápida do quadro da paciente, variando da lucidez ao coma/óbito em poucos dias. O objetivo é: relatar o caso de uma paciente portadora de câncer de colo uterino do tipo histológico carcinoma de células escamosas com lesões metastáticas cerebrais, alertar a população em relação as altas taxas de mortalidade por esse câncer.

Referências

Guimarães VM et al. Infecção cervical por papilomavírus humano: genotipagem viral e fatores de risco para lesão intraepitelial de alto grau e câncer de colo do útero. Rev Bras Ginecol Obstet. 2010;32(10):476-85.

Nascimento MI, Rocha LB. Colpocitologia de mulheres com diagnóstico de adenocarcinoma do colo do útero. Rev Bras Ginecol Obstet. 2010; 32(10):476-85

Thuler LCS, Aguiar SS, Bergmann A. Determinantes do diagnóstico em estádio avançado do câncer de colo do útero no Brasil. Rev Bras Ginecol Obstet. 2014;36(6):237-43.

Thuler LCS, Bergmann A, Casado L. Perfil das pacientes com Câncer do Colo do Útero no Brasil, 2000-2009: Estudo de Base Secundária. Revista Brasileira de Cancerologia. 2012;58(3):351-357.

Silva MGP et al. Determinantes da detecção de atipias celulares no programa de rastreamento do câncer do colo do útero no Rio de Janeiro, Brasil. Rev Panam Salud Publica. 2013;34(2).

Lodi CTC et al. Celulas escamosas atípicas cervicais: conduta clínica. FEMINA. 2012 Jan/Fev;40(1).

Saslow D et al. American Cancer Society, American Society for Colposcopy, and American Society od Clinical Pathology Screening Guidelines for the Prevention and Early Detection of Cervical Cancer. CA Cancer J Clin. 2012;62(3):147–172. doi:10.3322/caac.21139.

Oliveira A et al. Indicadores prognóstico carcinogénese do colo do útero associada à infecção por HPV. Acta Med Port. 2013 Mar-Apr;26(2):139-144.

Navarro C et al. Cervical Cancer screening coverage in a high-incidence region. Rev Saúde Pública. 2015;49:17.

Schiffman M et al. Human Papillomavirus Testing in the Prevention of Cervical Cancer. J Natl Cancer Inst. 2011;103:368-383.

Publicado
2017-08-31
Como Citar
Brito, R. L. D. G., & Caetano, O. A. (2017). CANCÊR DE COLO UTERINO METASTATICO – RELATO DE CASO. Revista De Saúde, 8(1 S1), 141-142. Recuperado de http://editora.universidadedevassouras.edu.br/index.php/RS/article/view/970
Seção
Resumo - Suplemento