Carcinoma epidermoide perineal extenso em paciente HIV positivo: relato de caso

  • Luísa Nunes Barcellos Universidade Severino Sombra
  • Márcio Alexandre Terra Passos Universidade Severino Sombra
Palavras-chave: Carcinoma Epidermóide, VIH, Neoplasias genitais femininas.

Resumo

Mulheres infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana (VIH ou HIV - Human Immunodeficiency Virus) têm probabilidade cinco vezes maior quando comparadas com as não infectadas de apresentarem lesões precursoras do câncer invasivo. O objetivo deste relato é expor a importância do tratamento adequado para o HIV a fim de evitar a malignização dessas lesões, visto que o tratamento antirretroviral adequado reduz este risco. Este trabalho relata o caso de uma paciente de 41 anos, sexo feminino, portadora de HIV há nove anos em tratamento irregular há sete anos, que deu entrada no pronto socorro do Hospital Universitário Sul-Fluminense (HUSF) queixando-se de nódulo úni-co e inicialmente indolor em região perineal anterior, de crescimento progressivo, asso-ciado a prurido evoluindo com dor em região vulvar com um ano e oito meses de evolu-ção, apresentando perda ponderal de 15 kg neste período, com vômitos e diarreia espo-rádicos, porém sem episódios de febre. Ao exame apresentava-se emagrecida, desidra-tada e hipocorada (++/4+). Na região perineal encontrava-se uma lesão ulcero-vegetante extensa, de aspecto fagedênico com borda direita apresentando infiltrado endurecido com centro ulcerado. Internada para compensação clínica foi realizada biópsia incisional da região perineal, com laudo histopatológico de carcinoma de células escamosas, moderadamente diferenciado, infiltrando a derme. Apresentou evolução desfavorável evoluindo para óbito 17 dias após a internação. O carcinoma epidermóide localmente avançado, como o do caso descrito, pode determinar dificuldades na manipulação clíni-ca do paciente, uma vez que não há proposta terapêutica curativa e as intercorrências clínicas e alterações na qualidade de vida são inevitáveis

Referências

Manzione CR, Nadal SR, Calore EE. Oncogenicidade do papilomavírus humano e o grau de neoplasia intra-epitelial anal em doentes HIV positivo. Rev Assoc Med Bras. 2004;50(3):282-5.

Galvão MTG, Freitas JG, Lima ICVd, Costa Ê, Brito DMSd, Diógenes MAR. Mulheres com HIV: características individuais e da prevenção de câncer cervical. 2010.

de Melo VH, de Araújo ACL, do Rio SMP, de Castro LPF, de Azevedo AA, de Castro MM. Problemas ginecológicos mais freqüentes em mulheres soropositivas para o HIV. RBGO. 2003;25(9).

Sr N, SHC H, Calore, EE, CR M. Resultados do tratamento do carcinoma espinocelular anal e do seu precursor em doentes HIV positivos. Cep. 2007;5415:030.

Fonseca-Moutinho JA. Neoplasia intraepitelial vulvar: um problema atual. Rev Bras Ginecol Obstet. 2008;30(8):420-26.

Nadal SR, Manzione CR. A citologia como método para detecção de lesões precursoras do carcinoma anal. Rev bras Coloproct. 2005;25(1).

Guimarães AP, Matos D, Segreto RA, Forones NM. Carcinoma espinocelular de canal anal: análise de 11 casos. Arquivos de Gastroenterologia. 2001.

Nadal SR, Manzione CR. Papilomavirus humano e o câncer anal. Revista Brasileira de Coloproctologia. 2006;26(2):204-7.

Formiga FB, Credidio AV, Rosa DL, Assef JC, Fang CB, Capelhuchnik P, et al. Carcinoma epidermoide de canal anal estádio IV: complicações clínicas de doença avançada. Rev bras Coloproct. 2010;30(4).

Publicado
2016-07-01
Como Citar
Barcellos, L. N., & Passos, M. A. T. (2016). Carcinoma epidermoide perineal extenso em paciente HIV positivo: relato de caso. Revista De Saúde, 7(1), 42-45. https://doi.org/10.21727/rs.v7i1.90
Seção
Medicina