Comparação da sensibilidade de técnicas diagnósticas diretas para identificação de babesiose em equinos

  • Fabiola Souza de Carvalho
  • Gustavo Mendes Gomes
  • Paulo de Tarso Langraf Botteon
  • Ana Paula Martinez de Abreu
  • Pedro Henrique Evangelista Guedes
  • André Maciel Crespilho
  • Letícia Patrão de Macedo Gomes
Palavras-chave: Diagnóstico. Babesiose. Equino. Baço. Punção esplênica

Resumo

A babesiose tem sido descrita como uma das principais enfermidades na equideocultura brasileira, gerando
consideráveis perdas econômicas, o que exige diagnóstico rápido e eficaz. O objetivo deste estudo foi
comparar a sensibilidade de três técnicas diagnósticas diretas na detecção dessa doença, sendo elas:a
pesquisa do hemocitozoário em esfregaços de sangue total, periférico eobtido por punção esplênica. Foram
submetidos ao estudo 13 equinos com faixa etária entre 07 e 20 anos e peso médio de 341 kg. As coletas foram
realizadas entre os meses de janeiro e março de 2014. Das técnicas avaliadas, o esfregaço sanguíneo de punção
esplênica apresentou maior sensibilidade na identificação de animais positivos quando comparado às demais.

Publicado
2016-09-27
Como Citar
de Carvalho, F. S., Gomes, G. M., Langraf Botteon, P. de T., de Abreu, A. P. M., Guedes, P. H. E., Crespilho, A. M., & Gomes, L. P. de M. (2016). Comparação da sensibilidade de técnicas diagnósticas diretas para identificação de babesiose em equinos. Revista De Saúde, 5(1/2), 05-10. https://doi.org/10.21727/rs.v5i1/2.65