Uso de simulação no ensino de urgência e emergência pré-hospitalar para discentes de medicina: Relato de experiência

  • Mario Henrique Chaves Guedes
  • Jéssica Teles Sousa Gomes
  • Andréia Santos Rezende De Almeida Santos Rezende De Almeida
  • André Luiz Dias Lima Bonfim
  • Luiz Felipe Furtado Vilela
  • Paula Pitta de Resende Côrtes
Palavras-chave: Medicina de Emergência, Educação Médica, Simulação de Paciente, Avaliação.

Resumo

As situações de emergência requerem intervenção imediata, de forma objetiva e eficaz, de modo a reduzir as possíveis sequelas e aumentar a sobrevida das vítimas. Por esse motivo, a ONG Projeto Vidas, composta por alunos do curso de Medicina da Universidade Severino Sombra, através do ensino por simulações, promove oportunidades para aquisição de habilidades cognitivas e psicomotoras de forma integrada nos seus cursos de primeiros socorros, permitindo aos estudantes a análise de seus desempenhos e autorreflexões. O objetivo deste estudo é relatar a experiência de um curso realizado por integrantes da ONG Projeto Vidas, com duração de 8 dias, com aulas expositivas e dinâmicas com simulações de atendimento, abordando diversos temas de pré-hospitalar. Ao início do curso, foi aplicado um pré-teste para a verificação do conhecimento prévio em situações de urgência e emergência. Ao final, foi realizado um grande simulado com múltiplas vítimas, onde os alunos tiveram a oportunidade de testar seus conhecimentos e sua capacidade técnica. Foi feito um pós-teste para avaliarmos o crescimento pedagógico e prático dos alunos, onde verificamos uma melhora de 64% no seu desempenho. Sendo assim, concluímos que esta significativa melhora das equipes ao final do simulado e ao final do pós-teste, demonstraram a relevância do ensino através de simulações para sedimentação de seu conhecimento, reforçando que o estudante de medicina deve ser inserido precocemente em simulações para garantir a conexão dos conhecimentos teórico-práticos e sua aplicação em situações reais.

Referências

Brasil. Ministério da Educação. Resolução CNE/CES nº3, de 20 de junho de 2014. Institui diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em Medicina e dá outras providências. Diário Oficial da União. 2014 jun. 23; Seção 1. p. 8-11.

Maia ER, Júnior JG, Lima EP, Campos W, Jovino EM, Fernandes FF, et. al. Conhecimentos em atenção pré-hospitalar e suporte básico de vida por estudantes recém-ingressos de medicina. Rev Bras Educ Med. 2014; 38(1): 59-64.

Simões RL, Duarte NC, Maciel GSB, Furtado TP, Paulo DNS. Atendimento pré-hospitalar à múltiplas vítimas com trauma simulado. Rev Col Bras Cir. 2012; 39(3): 230-237.

Vieira JE, Tamousauskas MRG. Avaliação das resistências de docentes a propostas de renovações em currículos de graduação em medicina. Rev Bras de Educ Med. 2013; 37(1): 32-38.

Beaubien JM, Baker DP. The use of simulation for training teamwork skills in health care: how low can you go? Qual Saf Health Care. 2004; 13(1): i51–6.

UNIPLAC - Universidade do Planalto Catarinense. Caderno do Estudante Curso de Medicina do Primeiro Ano. UNIPLAC. 2013.

Mesquita R, Duarte F. Dicionário de Psicologia. 1.ed. São Paulo. Editora Platano S.A; 1996.

Wayne DB, Butter J, Siddall VJ, Fudala MJ, Wade LD, Feinglass J, et al. Mastery learning of advanced cardiac life support skills by internal medicine residents using simulation technology and deliberate practice. J Gen Intern Med. 2006; 21(3): 251-6.

Unroe MA, Shofer SL, Wahidi MM. Training for endobronchial ultrasound: methods for proper training in new bronchoscopic techniques. Curr Opin Pulm Med. 2010; 16(4); 295-300.

Shumway JM, Harden RM, House TP. AMEE Guide No. 25: The assessment of learning outcomes for the competent and reflective physician. Med Teach. 2003; 25(6): 569–84.

Roppolo LP, Pepe PE. Retention, retention, retention: targeting the young in CPR skills training! Crit Care. 2009; 13(5): 185.

Publicado
2017-06-01
Como Citar
Chaves Guedes, M. H., Sousa Gomes, J. T., De Almeida, A. S. R. D. A. S. R., Lima Bonfim, A. L. D., Furtado Vilela, L. F., & Côrtes, P. P. de R. (2017). Uso de simulação no ensino de urgência e emergência pré-hospitalar para discentes de medicina: Relato de experiência. Revista De Saúde, 8(1), 07-14. https://doi.org/10.21727/rs.v8i1.460
Seção
Medicina