Conhecimento da população de Vassouras – RJ sobre Acidente Vascular Cerebral

  • Guilherme Thomaz Diniz Dumay Universidade de Vassouras
  • Juliana Ribeiro Milhomens Campelo Universidade de Vassouras
  • Maria Paulina Viana Miquilino Universidade de Vassouras
  • Gabriela Sudré Lacerda Universidade de Vassouras
  • Delfino Simões de Souza Neto Universidade de Vassouras
  • Carlos Eduardo Cardoso Universidade de Vassouras
  • Ana Beatriz Calmon Nogueira da Gama Pereira Universidade de Vassouras

Resumo

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma doença muito prevalente e grave, apresentando alta morbimortalidade. Seus principais fatores de risco modificáveis são Hipertensão arterial sistêmica (HAS), tabagismo e diabetes mellitus e os não modificáveis são idade, gênero e raça. Os sinais clínicos têm rápido desenvolvimento, mas podem ser revertidos com o tratamento precoce, que só é obtido se a população for capaz de identificar corretamente seus sinais e sintomas. Inúmeras pesquisas identificam que o conhecimento geral é insuficiente, então o presente estudo objetivou avaliar o conhecimento da população de Vassouras-RJ sobre os fatores de risco relacionados à doença em questão para identificar se existe a necessidade de intervenções educativas sobre esta patologia. Trata-se de um estudo observacional, transversal e qualiquantitativo cujos dados foram obtidos através de aplicação de questionário em uma Feira de Saúde em dois espaços públicos de grande circulação da cidade. Dos 119 participantes, 86,72% responderam que sabem o que é AVC, enquanto 33,28% não sabem. Os fatores de risco com maior índice de acertos são HAS, fumo e níveis elevados de LDL e os de menor índice são AIDS, câncer e ronco. A maioria dos entrevistados que sabiam o conceito de AVC tinham maior escolaridade, porém há pacientes desconhecedores da patologia tanto no grupo de alta escolaridade quando de baixa, evidenciando a necessidade de conscientizar toda a população com campanhas que abordem tanto os principais fatores de risco quanto os sinais e sintomas para promover a rápida busca por tratamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Silva IHB, et al. Conhecimento sobre o acidente vascular cerebral em Vassouras-RJ: Análise entre a população da zona urbana e zona rural. Neurobiologia. 2012;75(3):26

Pereira ABCN, Alvarenga H, Pereira Junior RS, Barbosa MTS. Prevalência de acidente vascular cerebral em idosos no Município de Vassouras, Rio de Janeiro, Brasil, através do rastreamento de dados do Programa Saúde da Família. Cad Saúde Pública. 2009;1929-1936.

Botelho TS, Machado Neto CD, Araújo FLC, Assis SC. Epidemiologia do acidente vascular cerebral no Brasil. Revista Temas em saúde. 2016;16(2):2447-2131.

Abe IM, Goulart AC, Santos Júnior WR, Lotufo PA, Benseñor IM. Validation of a stroke symptom questionnaire for epidemiological surveys. São Paulo Medical Journal. 2010;128(4):225-231.

Lima MJMR, Moreira TMM, Florêncio RS, Neto PB. Fatores associados ao conhecimento dos adultos jovens sobre histórico familiar de acidente vascular cerebral. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2016;24:1-9.

Fonseca LGA, Silva ALR, Pereira A. In: Anais do I Congresso Nacional de Envelhecimento Humano; 2016 nov. 23-25. Natal, Rio Grande do Norte. Rio Grande do Norte: Realize; 2016

Coelho RS, Freitas WM, Campos GP, Teixeira RA. Stroke awareness among cardiovascular disease patients. Arquivos de neuro-psiquiatria. 2008;66(2A):209-212.

Powers WJ, et al. 2018 Guidelines for the Early Management of Patients With Acute Ischemic Stroke: A Guideline for Healthcare Professionals From the American Heart Association/American Stroke Association. Stroke. 2018; 49: 46-99

Fernandes A, Magalhães CP, Mata MAP, Pimentel MH, Baptista MG. Avaliação do conhecimento referente à detecção precoce e prevenção do Acidente Vascular Cerebral. In: I Congresso de Cuidados Continuados: Dilemas Atuais e Desafios Futuros; 2012 set. 28-29. Bragança, Portugal. Bragança: Instituto Politécnico de Bragança, Escola Superior de Saúde; 2012.

Ennen KA, Zerwic JJ. Stroke knowledge: how is it impacted by rural location, age, and gender?. Journal of Rural Nursing & Health Care. 2010;10(1):9-21

Bule MJA, Sim-Sim MMS, Correia IMTB, Falé MJMM. Conhecimentos da população sobre acidente vascular cerebral – transeuntes da praça do giraldo em Évora. Rev enferm UFPE on line. 2016;10(1):65-72.

Costa F, et al. Nível de conhecimento da população adulta sobre acidente vascular cerebral (AVC) em Pelotas – RS. J Bras Neurocirurg. 2008;19(1):31-37

Chow FC, Regan S, Feske S, Meigs JB, Grinspoon SK, Triant VA. Comparison of ischemic stroke incidence in HIV-infected and non-HIV-infected patients in a US Health Care System. Acquir Immune Defic Syndr. 2012;60(4):351-358

Silva GA, Sander HH, Eckeli AL, Fernandes RMF, Coelho EB, Nobre F. Conceitos básicos sobre síndrome da apneia obstrutiva do sono. Rev Bras Hipertens. 2009;16(3):150-157

Publicado
2019-12-09
Como Citar
Dumay, G. T. D., Campelo, J. R. M., Miquilino, M. P. V., Lacerda, G. S., Neto, D. S. de S., Cardoso, C. E., & Pereira, A. B. C. N. da G. (2019). Conhecimento da população de Vassouras – RJ sobre Acidente Vascular Cerebral. Revista De Saúde, 10(2), 02-06. https://doi.org/10.21727/rs.v10i2.1540
Seção
Artigos Originais