Medicamentos de uso prevalente pela população assistida por um projeto de extensão universitária

  • Natália Avila Souza Pró-reitoria de Ciências Médicas, Universidade Severino Sombra, Discente do Curso de Medicina, Vassouras/RJ, Brasil http://orcid.org/0000-0001-7396-7229
  • Luísa Fernandes Rivelli Cardoso Pró-reitoria de Ciências Médicas, Universidade Severino Sombra, Egressa do Curso de Medicina, Vassouras/RJ, Brasil
  • Maria Cristina Almeida Souza Pró-reitoria de Ciências Médicas, Universidade Severino Sombra, Docente do Curso de Medicina e do Mestrado em Ciências Aplicadas em Saúde, Vassouras/RJ, Brasil
Palavras-chave: Tratamento Farmacológico, Atenção Primária à Saúde, Medicamentos essenciais, Medicina.

Resumo

A Universidade Severino Sombra, em Vassouras, no Estado do Rio de Janeiro, desenvolve projetos de extensão que contribuem positivamente para a qualidade de vida da população. Entre as ações de extensão universitária, destacam-se as viabilizadas pelo projeto Ipiranga, por meio do qual os alunos realizam ações de promoção em saúde e prevenção às doenças, bem como atividades assistenciais relacionadas ao primeiro nível de atenção à saúde. Entre as ações realizadas pelos alunos, inclui-se a pesquisa sobre os medicamentos mais utilizados pelos moradores participantes do projeto, correlacionando seus resultados à prevalência de agravos. O objetivo deste estudo é verificar os medicamentos de uso prevalente pela população assistida pelo projeto Ipiranga. Trata-se de uma pesquisa observacional e transversal, cuja coleta de dados foi realizada durante os meses entre setembro de 2016 e abril de 2017, por meio de um questionário estruturado contendo 7questões objetivas. A amostra foi composta por 34 pessoas, das quais 65% eram do gênero feminino. A idade dos participantes variou de 11 a 85 anos. Os medicamentos de uso mais prevalente foram losartana potássica (42%), hidroclorotiazida (27%), metformina (19%) omeprazol (19%) e nifedipina (11%). Conforme evidenciado, a prevalência da utilização de medicamentos de uso contínuo entre os participantes deste estudo tem como principal indicação médica as doenças crônicas não transmissíveis, como a hipertensão arterial sistêmica e o diabetes mellitus. A maioria dos medicamentos utilizados por essa população, sobretudo aqueles de uso mais prevalente, consta na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (RENAME).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Natália Avila Souza, Pró-reitoria de Ciências Médicas, Universidade Severino Sombra, Discente do Curso de Medicina, Vassouras/RJ, Brasil

Discente do Curso de Medicina da USS, Vassouras/RJ, Brasil

Luísa Fernandes Rivelli Cardoso, Pró-reitoria de Ciências Médicas, Universidade Severino Sombra, Egressa do Curso de Medicina, Vassouras/RJ, Brasil

Médica egressa da USS, Vassouras/RJ, Brasil

Maria Cristina Almeida Souza, Pró-reitoria de Ciências Médicas, Universidade Severino Sombra, Docente do Curso de Medicina e do Mestrado em Ciências Aplicadas em Saúde, Vassouras/RJ, Brasil
Docente do Curso de Medicina e do Mestrado em Ciências Aplicadas em Saúde USS, Vassouras/RJ, Brasil

Referências

- Souza MCAS, Mendonça MA, Costa EMA, Côrtes PPR, Côrtes Júnior JCS, Albuquerque CJM. Ações Extensionistas e a Promoção da Saúde: Relato de Experiência. Rev Extensão UENF. 2016; 2(4):17-28.

- Souza MCAS, Mendonça MA, Costa EMA, Gonçalves SJC, Teixeira JCD, José Carlos Dantas Teixeira, Almeida Júnior EHR. O Universitário Transformador na Comunidade: a Experiência da USS. Rev Bras Educ Méd. 2014; 38(2): 269-282.

- Rio de Janeiro. Decreto nº 7.508, de 28 de junho de 2011. Relação Municipal de Medicamentos Essenciais (REMUME-RIO) [Internet]. Diário Oficial [do] Município. 2013 ago. 21 [acesso em 2017 ago 10]. Disponível em: http://subpav.org/download/assfarm/REMUME-RIO%202013.pdf

- Brasília. Ministério da Saúde. Portaria nº 522/GM/MS, de 28 de março de 2012. Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (RENAME). Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde. 2015 jan. 05; Seção C. p 143-192.

- Helfer AP, Camargo AL, Tavares NUL, Kanavos P, Bertoldi AD. Capacidade aquisitiva e disponibilidade de medicamentos para doenças crônicas no setor público.Rev Panam Salud Publica [Internet]. 2012 [acesso em 2017 ago 12]; 31(3): 225-232. Disponível em: http://www.scielosp.org/pdf/rpsp/v31n3/07.pdf

- Schmidt MI, Duncan BB, Silva GA, Menezes AM, Monteiro CA, Barreto SM, Chor D, Menezes PR. Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: carga e desafios atuais. The Lancet [Internet]. 2011 [acesso em 2017 ago 12]; 10(11): 61-74. Disponível em: http://dms.ufpel.edu.br/ares/bitstream/handle/123456789/222/1%20%202011%20Doenças%20crônicas%20não%20transmiss%C3%ADveis%20no%20Brasil.pdf?sequence=1

- Malta DC, Silva Júnior JB. O Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis no Brasil e a definição das metas globais para o enfrentamento dessas doenças até 2025: uma revisão. Epidemiol. Serv. Saúde [Internet]. 2013 [acesso em 2017 ago 25]; 22(1): 151-164. Disponível em: http://scielo.iec.pa.gov.br/pdf/ess/v22n1/v22n1a16.pdf

- Malta DC, Gosch CS, Buss P, Rocha DG, Rezende R, Freitas PC. Doenças Crônicas Não Transmissíveis e o suporte das ações intersetoriais no seu enfrentamento. Ciência & Saúde Coletiva [Internet]. 2014 [acesso em 2017 ago 12]; 19(11): 4341-4350. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v19n11/1413-8123-csc-19-11-4341.pdf

- Malta DC, Oliveira TP, Santos MAS, Andrade SSCA, Silva MMA. Avanços do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas não Transmissíveis no Brasil, 2011-2015. Epidemiol. Serv. Saúde [Internet]. 2016 [acesso em 2017 ago 12]; 25(2): 373-390. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ress/v25n2/2237-9622-ress-25-02-00373.pdf

- Oliveira LCF, Assis MMA, Barboni AR. Assistência Farmacêutica no Sistema Único de Saúde: da Política Nacional de Medicamentos à Atenção Básica à Saúde. Ciência & Saúde Coletiva [Internet]. 2010 [acesso em 2017 ago 11]; 15(3): 3561-3567. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v15s3/v15s3a31.pdf

Publicado
2017-11-30
Como Citar
Souza, N. A., Cardoso, L. F. R., & Souza, M. C. A. (2017). Medicamentos de uso prevalente pela população assistida por um projeto de extensão universitária. Revista De Saúde, 8(2), 36-41. https://doi.org/10.21727/rs.v8i2.1150
Seção
Medicina