Medicamentos de uso prevalente pela população assistida por um projeto de extensão universitária

  • Natália Avila Souza Pró-reitoria de Ciências Médicas, Universidade Severino Sombra, Discente do Curso de Medicina, Vassouras/RJ, Brasil http://orcid.org/0000-0001-7396-7229
  • Luísa Fernandes Rivelli Cardoso Pró-reitoria de Ciências Médicas, Universidade Severino Sombra, Egressa do Curso de Medicina, Vassouras/RJ, Brasil
  • Maria Cristina Almeida Souza Pró-reitoria de Ciências Médicas, Universidade Severino Sombra, Docente do Curso de Medicina e do Mestrado em Ciências Aplicadas em Saúde, Vassouras/RJ, Brasil
Palavras-chave: Tratamento Farmacológico, Atenção Primária à Saúde, Medicamentos essenciais, Medicina.

Resumo

A Universidade Severino Sombra, em Vassouras, no Estado do Rio de Janeiro, desenvolve projetos de extensão que contribuem positivamente para a qualidade de vida da população. Entre as ações de extensão universitária, destacam-se as viabilizadas pelo projeto Ipiranga, por meio do qual os alunos realizam ações de promoção em saúde e prevenção às doenças, bem como atividades assistenciais relacionadas ao primeiro nível de atenção à saúde. Entre as ações realizadas pelos alunos, inclui-se a pesquisa sobre os medicamentos mais utilizados pelos moradores participantes do projeto, correlacionando seus resultados à prevalência de agravos. O objetivo deste estudo é verificar os medicamentos de uso prevalente pela população assistida pelo projeto Ipiranga. Trata-se de uma pesquisa observacional e transversal, cuja coleta de dados foi realizada durante os meses entre setembro de 2016 e abril de 2017, por meio de um questionário estruturado contendo 7questões objetivas. A amostra foi composta por 34 pessoas, das quais 65% eram do gênero feminino. A idade dos participantes variou de 11 a 85 anos. Os medicamentos de uso mais prevalente foram losartana potássica (42%), hidroclorotiazida (27%), metformina (19%) omeprazol (19%) e nifedipina (11%). Conforme evidenciado, a prevalência da utilização de medicamentos de uso contínuo entre os participantes deste estudo tem como principal indicação médica as doenças crônicas não transmissíveis, como a hipertensão arterial sistêmica e o diabetes mellitus. A maioria dos medicamentos utilizados por essa população, sobretudo aqueles de uso mais prevalente, consta na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (RENAME).

Biografia do Autor

Natália Avila Souza, Pró-reitoria de Ciências Médicas, Universidade Severino Sombra, Discente do Curso de Medicina, Vassouras/RJ, Brasil

Discente do Curso de Medicina da USS, Vassouras/RJ, Brasil

Luísa Fernandes Rivelli Cardoso, Pró-reitoria de Ciências Médicas, Universidade Severino Sombra, Egressa do Curso de Medicina, Vassouras/RJ, Brasil

Médica egressa da USS, Vassouras/RJ, Brasil

Maria Cristina Almeida Souza, Pró-reitoria de Ciências Médicas, Universidade Severino Sombra, Docente do Curso de Medicina e do Mestrado em Ciências Aplicadas em Saúde, Vassouras/RJ, Brasil
Docente do Curso de Medicina e do Mestrado em Ciências Aplicadas em Saúde USS, Vassouras/RJ, Brasil

Referências

- Souza MCAS, Mendonça MA, Costa EMA, Côrtes PPR, Côrtes Júnior JCS, Albuquerque CJM. Ações Extensionistas e a Promoção da Saúde: Relato de Experiência. Rev Extensão UENF. 2016; 2(4):17-28.

- Souza MCAS, Mendonça MA, Costa EMA, Gonçalves SJC, Teixeira JCD, José Carlos Dantas Teixeira, Almeida Júnior EHR. O Universitário Transformador na Comunidade: a Experiência da USS. Rev Bras Educ Méd. 2014; 38(2): 269-282.

- Rio de Janeiro. Decreto nº 7.508, de 28 de junho de 2011. Relação Municipal de Medicamentos Essenciais (REMUME-RIO) [Internet]. Diário Oficial [do] Município. 2013 ago. 21 [acesso em 2017 ago 10]. Disponível em: http://subpav.org/download/assfarm/REMUME-RIO%202013.pdf

- Brasília. Ministério da Saúde. Portaria nº 522/GM/MS, de 28 de março de 2012. Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (RENAME). Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde. 2015 jan. 05; Seção C. p 143-192.

- Helfer AP, Camargo AL, Tavares NUL, Kanavos P, Bertoldi AD. Capacidade aquisitiva e disponibilidade de medicamentos para doenças crônicas no setor público.Rev Panam Salud Publica [Internet]. 2012 [acesso em 2017 ago 12]; 31(3): 225-232. Disponível em: http://www.scielosp.org/pdf/rpsp/v31n3/07.pdf

- Schmidt MI, Duncan BB, Silva GA, Menezes AM, Monteiro CA, Barreto SM, Chor D, Menezes PR. Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: carga e desafios atuais. The Lancet [Internet]. 2011 [acesso em 2017 ago 12]; 10(11): 61-74. Disponível em: http://dms.ufpel.edu.br/ares/bitstream/handle/123456789/222/1%20%202011%20Doenças%20crônicas%20não%20transmiss%C3%ADveis%20no%20Brasil.pdf?sequence=1

- Malta DC, Silva Júnior JB. O Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis no Brasil e a definição das metas globais para o enfrentamento dessas doenças até 2025: uma revisão. Epidemiol. Serv. Saúde [Internet]. 2013 [acesso em 2017 ago 25]; 22(1): 151-164. Disponível em: http://scielo.iec.pa.gov.br/pdf/ess/v22n1/v22n1a16.pdf

- Malta DC, Gosch CS, Buss P, Rocha DG, Rezende R, Freitas PC. Doenças Crônicas Não Transmissíveis e o suporte das ações intersetoriais no seu enfrentamento. Ciência & Saúde Coletiva [Internet]. 2014 [acesso em 2017 ago 12]; 19(11): 4341-4350. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v19n11/1413-8123-csc-19-11-4341.pdf

- Malta DC, Oliveira TP, Santos MAS, Andrade SSCA, Silva MMA. Avanços do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas não Transmissíveis no Brasil, 2011-2015. Epidemiol. Serv. Saúde [Internet]. 2016 [acesso em 2017 ago 12]; 25(2): 373-390. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ress/v25n2/2237-9622-ress-25-02-00373.pdf

- Oliveira LCF, Assis MMA, Barboni AR. Assistência Farmacêutica no Sistema Único de Saúde: da Política Nacional de Medicamentos à Atenção Básica à Saúde. Ciência & Saúde Coletiva [Internet]. 2010 [acesso em 2017 ago 11]; 15(3): 3561-3567. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v15s3/v15s3a31.pdf

Publicado
2017-11-30
Como Citar
Souza, N. A., Cardoso, L. F. R., & Souza, M. C. A. (2017). Medicamentos de uso prevalente pela população assistida por um projeto de extensão universitária. Revista De Saúde, 8(2), 36-41. https://doi.org/10.21727/rs.v8i2.1150
Seção
Medicina