Mudanças na Revista de Saúde

2019-08-30

Caros Leitores e Pesquisadores,
Apresentamos uma nova proposta da Revista de Saúde visando sempre melhorar a qualificação do nosso periódico e, consequentemente, estimular novas publicações relacionadas ao escopo. Inovamos alguns pontos e aumentamos o rigor para submissão de trabalhos. Atentamos que tais mudanças fazem-se necessárias, devido ao grande número de periódicos relacionados à nossa proposta – essas também possibilitam que pesquisadores renomados comecem a investir no envio de papers, contribuindo para nossa classificação.

Em um cenário em que tantos periódicos nascem e desaparecem, nossa tentativa é de consolidar duas importantes frentes. A primeira de congregar a categoria de colegas que trabalham nas áreas propostas para submissão de trabalhos. A segunda, de empreender esforços para transformar os “saberes” de várias áreas da Medicina repassando-os para os leitores. Pensar globalmente implicou-nos em alterações da Revista de Saúde com intuito de buscar e repassar conhecimento científico atualizado e criterioso.

Um novo avanço, uma nova descoberta, uma nova técnica, o desenvolvimento de novos produtos técnicos, novas abordagens no tocante à urgência e emergência médica e, logicamente, novos questionamentos são fundamentais para todos nós. Problemas de Saúde Pública não podem ser esquecidos quando tratamos de Brasil. A eclosão de surtos de sarampo, caxumba, algumas arboviroses, novas descobertas no campo do HIV e doenças infecciosas nos abrem um leque para discussão clínica e tomada de decisões. A inovação de produtos técnicos no campo de urgência e emergência médica têm contribuído para atenuar o sofrimento dos pacientes, na redução de comorbidades e, consequentemente, salvando ou melhorado vidas.

Enfim, para alcançarmos nossos objetivos, profissionais da área médica e afins devem atentar aos avanços tecnológicos nas áreas de genética, imagem, emergência, que quando bem aplicados, vêm permitindo mudanças importantes nas ciências médicas, da visão diagnosticista para a fase terapêutica medicamentosa ou na rapidez quando o assunto é urgência médica e o “pensar” à beira do leito.

Com o mesmo entusiasmo e com a visão da ciência hoje globalizada e democratizada, assumo a função de Editor-Científico da Revista em Saúde e, peço-lhes, do fundo do coração que apostem na nova proposta. Aproveito para incentivar os estudantes de todas as Universidades do País e, obviamente, aos colegas da Universidade de Vassouras, que nos prestigiem com material de qualidade.

Agradeço de antemão o aceite dos professores que passarão a compor o novo corpo científico e os revisores Ad Hoc. Esses tão ou mais importantes, pois nos auxiliam com seu precioso tempo em manter a qualidade técnica e científica de nossos artigos. Agradeço de coração o convite feito por alguns professores e sinto-me revivendo experiências quando assumi, também como editor-chefe e/ou cientifico, alguns periódicos nacionais e internacionais.

Boa leitura e com imenso carinho,

Marco Orsini MD PhD
Editor-Científico da Revista de Saúde
Pós-Doutor pela UFRJ em Neuro-Psiquiatria; Especialista e Doutor em Neurologia – UFF;
Professor Adjunto I da Universidade de Vassouras; Membro Titular da Academia Brasileira de Neurologia;
Pai de João e Bento Orsini, as únicas e grandes produções que Deus me presenteou.