Espiritualidade no enfrentamento do tratamento oncológico: revisão integrativa da literatura

Resumo

Objetiva-se analisar as evidências científicas sobre o exercício da espiritualidade em pacientes com câncer, tendo em vista suas contribuições para o tratamento oncológico. Realizou-se uma revisão integrativa da literatura nas bases de dados MEDLINE, LILACS, BDENF e literatura cinzenta. Foram selecionados 15 artigos em português, inglês e espanhol, publicados entre os anos de 2010 e 2020, que abordaram o papel da espiritualidade durante o tratamento oncológico. Para discussão dos resultados estabeleceu-se três categorias: (1) a espiritualidade e o bem-estar físico e emocional, (2) a espiritualidade na construção da resiliência, e (3) a espiritualidade ressignificando a vida. Notou-se que o aumento de aspectos positivos relacionados à prática espiritual como otimismo, esperança, adoção de hábitos saudáveis e redução do estresse e da ansiedade refletem no bem-estar e na qualidade de vida; o exercício espiritual oferece mecanismos para construção da resiliência, como resistência, força e superação das adversidades; e ajudam os pacientes a enxergar a vida sob uma perspectiva mais otimista. Poucos estudos abordam que não há benefícios relacionados à pratica da espiritualidade. Conclui-se, conforme a maioria das pesquisas, que a prática espiritual é relevante para o bem-estar, enfrentamento da doença e ressignificação da existência durante o tratamento oncológico.

Palavras-chave: Espiritualidade; Oncologia; Adaptação Psicológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joyce Santos Martins, Universidade Federal da Bahia

Discente do curso de enfermagem, Universidade Federal da Bahia, Vitória da Conquista, Bahia, Brasil.

Juliana Xavier Pinheiro da Cunha, Universidade Federal da Bahia

Enfermeira, doutoranda em epidemiologia pra Universidade Federal do Rio Grande do Sul, professora assistente da Universidade Federal da Bahia – UFBA, Vitória da Conquista, Bahia, Brasil.

Chrisne Santana Biondo , Universidade Federal da Bahia

Enfermeira, doutoranda em ciências da saúde pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia-UESB, professora assistente da Universidade Federal da Bahia-UFBA, Vitória da Conquista, Bahia, Brasil.

Lívia dos Santos Mendes , Hospital Geral de Vitória da Conquista

Enfermeira, mestre em saúde coletiva pela Universidade Federal da Bahia-UFBA. Enfermeira assistente da Unidade de Terapia Intensiva Adulto do Hospital Geral de Vitória da Conquista, Bahia, Brasil.

Publicado
2021-06-22
Seção
Espiritualidade e Saúde