Repercussões da hemodiálise no paciente com doença renal crônica: uma revisão da literatura

Resumo

A hemodiálise é o método de diálise mais comumente empregado para remover substâncias nitrogenadas tóxicas do sangue e excesso de água. Requer cuidado intensivo devido à possibilidade de intercorrências clínicas. Neste sentido é importante refletir sobre o cuidado de enfermagem aos pacientes crônicos, particularmente no que se refere à qualidade da assistência, resolutividade do serviço/tratamento e educação em saúde. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica de abordagem qualitativa, com objetivo de descrever repercussões da hemodiálise no paciente com doença renal crônica. Após a associação de todos os descritores foram encontrados 1.565 artigos, excluídos 1.539 e selecionados 26 artigos. Posterior à leitura reflexiva emergiram quatro categorias: Doença Renal Crônica (DRC); Hemodiálise e as complexidades do tratamento terapêutico; Qualidade de vida dos pacientes em Hemodiálise; Contribuições da enfermagem no tratamento hemodialítico. A hemodiálise é o tratamento terapêutico mais utilizado na DRC e é acompanhado de inúmeras restrições de vida tais como, restrições alimentares, de atividades diárias básicas, e sociais. A forma ativa do tratamento é realizada em hospitais ou unidades especializadas, onde o usuário necessita dispor de cerca de quatro horas por dia, durante três vezes por semana, o que implica diretamente na sua qualidade de vida. Conclui-se que as repercussões no estilo de vida, acarretadas pela doença renal crônica, e pelo tratamento hemodialítico, ocasionam limitações físicas, sexuais, psicológicas, familiares e sociais, que podem afetar a qualidade de vida e, frente a isso, é de grande relevância a participação do enfermeiro, para contribuição no processo de adaptação do paciente e sua nova rotina.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wanderson Alves Ribeiro, Mestrando Acadêmico, Universidade Federal Fluminense

Enfermeiro. Mestrando Acadêmico em Ciências do Cuidado em Saúde pela Escola de Enfermagem Aurora Afonso Costa da Universidade Federal Fluminense

Brenda de Oliveira Jorge, Universidade Iguaçu

Graduada em Enfermagem pela Universidade Iguaçu.

Raíssa de Sena Queiroz, Universidade Iguaçu

Graduada em Enfermagem pela Universidade Iguaçu.

Publicado
2020-06-16