A espiritualidade no cuidado em saúde na Atenção Primária

Resumo

Introdução: Atenção epsecial tem sido dispensada à espiritualidade como estratégia de enfrentamento de doenças, pois tem papel protetor contra a morbidade psicológica, tendo em vista seu impacto sobre a maneira como a pessoa lida com a patologia. Metodologia: aborda-se, por meio da revisão de literatura, a espiritualidade na avaliação clínica dos pacientes pelos profissionais de saúde, cujo conhecimento da dimensão espiritual do paciente é capaz de contribuir para o alívio do sofrimento e enfrentamento da doença. Resultados: foram localizados 11 publicações que atenderam aos critérios de inclusão, sendo 7 artigos, 3 livros, 1 dissertação  Discussão: a Estratégia Saúde da Família (ESF), democratizou o acesso aos serviços de saúde no nível primário de Atenção à Saúde. Atuam nas Unidades de Atenção Primária à Saúde, profissionais generalistas, aos quais compete prestarem um cuidado capaz de resolver aproximadamente 80% das demandas, cujo componente espiritual deve ser considerado. Imprescindível inclusão da espiritualidade na avaliação clínica dos usuários das Unidades de APS, tendo por pressuposto que o preconizado vínculo médico-paciente poderá otimizar a escuta qualificada, a compreensão pelo profissional do significado do adoecer para o paciente, bem como o estabelecimento de um plano terapêutico capaz de considerar especificidades espirituais e religiosas do paciente, favorecendo o prognóstico e o enfrentamento das adversidades, decorrentes do adoecimento. Considerações finais: considerando que a dimensão espiritual tem uma natureza sistêmica, é fundamental sua utilização pelos profissionais da APS. Há necessidade de mudança de paradigma no atendimento a saúde, com afastamento da visão biomédica cartesiana tecnicista para visão de espiritualidade e saúde.

Biografia do Autor

Maria Cristina Almeida de Souza, Universidade Severino Sombra

Doutora. Mestre. Especialista. Docente do Curso de Medicina da USS. Área Saúde Coletiva

Luiz Augusto de Azevedo Pinheiro, HUV. Médico Residente em MFC

Médico Residente em Medicina de Família e Comunidade. Hospital Universitário de Vassouras. Vassouras, RJ, Brasil

Sandra Maria Barroso Werneck Vilagra, Universidade de Vassouras. Docente do Curso de Medicina.

Coordenadora da Residência Médica do Hospital Universitário de Vassouras. Vassouras, RJ, Brasil

Cristina Fidalgo Affonso Pinheiro, HUV. Preceptora da Residência Médica

Preceptora da Residência em Medicina de Família e Comunidade. Vassouras, RJ, Brasil

Eduardo Herrera Rodrigues de Almeida Júnior , Universidade de Vassouras. Docente do Curso de Medicina. Supervisor da Residência Médica em MFC

Docente do Curso de Medicina da Universidade de Vassouras. Supervisor da Residência em Medicina de Família e Comunidade do Hospital Universitário de Vassouras. Vassouras, RJ, Brasil

Publicado
2019-12-11
Seção
Trabalhos de Pós-Graduação