Uso de vasoconstritores em pacientes portadores de Hipertireoidismo

Resumo

Através da anestésica local é possível a realização de grande parte dos procedimentos odontológicos. Os anestésicos locais são substâncias que bloqueiam a condução nervosa, causando a perda temporária da sensibilidade de regiões do corpo. O uso do vasoconstritor traz benefícios para os anestésicos, como a absorção lenta do sal anestésico que resulta em um efeito mais prolongado da anestesia local. Entretanto, em pacientes com determinadas condições sistêmicas, precisam ser adequadamente indicados. É o caso de pacientes portadores de hipertireoidismo, que são mais sensíveis aos vasoconstritores. Foram realizadas buscas em bases de dados Scientific Eletronic Library Online (SciELO), Google Acadêmico e PubMed com os descritores: “Hipertireoidismo”, “vasoconstritor”, “anestésicos locais” e “alterações sistêmicas” além da utilização dos livros de terapêutica medicamentosa e urgências médicas em odontologia, no período de novembro a dezembro de 2018. Uma seleção de 14 documentos serviu de referência bibliográfica para a construção desta revisão de literatura. O objetivo dessa revisão de literatura é abordar o uso de vasoconstritores em pacientes com hipertireoidismo de modo que, o profissional possa intervir com segurança em procedimentos odontológicos que requeiram anestesia local. Foi concluído que, utilizar os vasoconstritores ou não nos procedimentos odontológicos em pacientes com hipertireoidismo, deve ser bem analisado levando em consideração a sua condição sistêmica prévia e atual.

Biografia do Autor

Emanuele Castro de Araujo, Universidade de Vassouras
Cirurgiã-Dentista graduada pela Universidade de Vassouras
Thaís Evellyn da Silva, Universidade de Vassouras
Cirurgiã-Dentista graduada pela Universidade de Vassouras
Marcela Paschoal Rocha, Universidade de Vassouras
Cirurgiã-Dentista graduada pela Universidade de Vassouras
Leandro Moraes Coelho de Oliveira, São Leopoldo Mandic, Campinas - SP.
Mestrando em Saúde Coletiva pela São Leopoldo Mandic, Campinas - SP.

Referências

Andrade ED. Terapêutica Medicamentosa em Odontologia. Organizador: Eduardo Dias de Andrade. – 3. Ed. – São Paulo: Artes Médicas, 2014.

Caldas CS, Bergamaschu CC, Succi GM, Motta RHL, Ramacciato JC. Clinical evaluation of diferente epinephrine concentrations for local dental anestesia. Rev Dor. São Paulo, 2015 jan-mar;16(1):1-5.

Carvalho RWF, Pereira CU, Anjos ED, Laureano Filho JR, Vasconcelos BCE. Anestésicos Locais: Como Escolher e Previnir Complicações Sistémicas. Rev Port Estomatol Med Dent Cir Maxilofac 2010; 51:113-20.

Duarte DF. Uma Breve História do Ópio e dos Opióides. Rev Bras Anestesiol 2005 Fevereiro; 55(1):135-46.

Lizardi PG, Jimenéz HAG. Urgências médicas em Odontologia. 2ª edición. Editorial El Manual Miderno, S.a de C.V. México, 2012. p. 255-63.

Maia AL, Scheffel RS, Meyer ELS, Mazeto GMFS, Carvalho GA, Graf H, et al. Consenso brasileiro para o diagnóstico e tratamento do hipertireoidismo: recomendações do Departamento de Tireoide da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. Arq Bras Endocrinol Metab., 2013;57(3):205-32.

Oliveira AEM, Simone JL, Ribeiro RA. Pacientes hipertensos e a anestesia na Odontologia: devemos utilizar anestésicos locais associados ou não com vasoconstritores?. HU Revista, Juiz de Fora, 2010 jan./mar.;36(1):69-75,

Paiva LCA, Cavalcanti AL. Anestésicos locais em Odontologia: Uma revisão de literatura. Publ. UEPG Ci. Biol. Saúde, Ponta Grossa, 2005 jun.;11(2):35-42.

Palma FR, Lins LHS, Branco FP, Wygladala LG. Verificação da variação da pressão arterial pelo uso de anestésicos locais com vasoconstritor. Revista Odonto Ciência – Fac. Odonto/PUCRS, 2005 jan./mar.;20 (47):35-9.

Perusse R, Goulet JP, Turcotte JY. Contra indications to vasoconstrictors in dentistry: Part II Hyperthyroidism, diabetes, sulfite sensitivity, cortico-dependent asthma, and pheochromocytoma. Oral Surg Oral Med Oral Pathol, November 1992; 74:687-91.

Siqueira AL, Rocha FS, Carvalho QA. Uso de anestésicos locais com vasoconstritor em pacientes hipertensos. Em: Universidade Federal de Uberlândia 4ª Semana do Servidor e 5ª Semana Acadêmica 2008 – UFU 30 anos. Uberlândia, Minas Gerais, 2008. Disponível em: https://ssl4799.websiteseguro.com/swge5/seg/cd2008/PDF/SA08-20430.PDF

Soares RG, Salles AA, Irala LED, Limongi O. Como escolher um adequado anestésico local para as diferentes situações na clínica odontológica diária? RSBO, 2006 ;3(1):35-40.

Souza, M. O. F. de et al. Incidência de alterações sistêmicas e uso de medicamentos em pacientes atendidos em clínica odontológica. ConScientiae Saúde, São Paulo, 2007;6(2):305-11.

Vasconcellos RJH, Nogueira RVB, Leal AKR, Oliveira CTV, Bezerra JGB. Alterações Sistêmicas Decorrentes do Uso de Lidocaína e Prilocaína na Prática Odontológica. Rev. Cir. Traumat. Buco Maxilo-Facial, 2002 jan/jun.;1(2):13-9.

Publicado
2019-06-28
Seção
Odontologia