As contribuições do enfermeiro no autocuidado ao paciente estomizado

Resumo

Estudo de pesquisa bibliográfica com abordagem qualitativa que tem como objetivo descrever a relevância do procedimento cirúrgico seguro e evidenciar as implicações dos enfermeiros e sua equipe no processo da cirurgia segura. Desta forma, salientando a realidade atual dos hospitais, que devem seguir todo o protocolo que foi estabelecido, visando o bem estar físico e emocional do paciente, desde o momento de sua admissão até a alta hospitalar. Os dados foram coletados mediante a uma serie de estudos e pesquisas em artigos científicos e sites. Por sua vez ajudando a refletir como o cuidado produzido repercute não apenas sobre a pessoa, mas também sobre a instituição e os profissionais que executam de maneira correta os passos do manual de cirurgia segura.

Descritores: Cirurgia; Cirurgia segura; Enfermagem.

 

Biografia do Autor

Marilda Andrade, UFF

nfermeira. Doutora em Enfermagem. Vice-Diretora, Professora Associada Escola de Enfermagem Aurora Afonso Costa da UFF, Niterói/RJ.

Carla de Souza Couto, CTEF

Enfermeira. Pós-Graduanda em Saúde Pública com Ênfase em Estratégia Saúde da Família pela Faculdade Venda Nova do Imigrante. Docente Titular do Curso de Formação Técnica em Enfermagem do CTEF

Douglas Mendes da Silva Souza, CTEF

Enfermeiro. Pós-Graduanda em Saúde Pública com Ênfase em Estratégia Saúde da Família pela Faculdade Venda Nova do Imigrante. Docente Titular do Curso de Formação Técnica em Enfermagem do CTEF.

Maicon Costa de Morais, Celso Lisboa

Enfermeiro. Pós-Graduando em CTI Pediátrico e Neonatologia (FAVENI); Pós-Graduando em Terapia Intensiva e Emergência-Celso Lisboa.

Jose Augustinho Mendes Santos, Hospital do Santa Cruz

Enfermeiro. Residente em Urgência, Emergência e Intensivíssimo do Hospital do Santa Cruz.

Referências

Santos, V.L.C.G, Cesaretti, I.U.R. Assistência em estomaterapia - cuidando do ostomizado. São Paulo: Editora Atheneu; 2001

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Portaria Nº 400, de 16 de Novembro 2009. Brasília: Ministério da Saúde, 2009. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/sas/2009/prt0400_16_11_2009.html [Acesso em: 02 abr 2018].

Santos, V.L.C.G. A bolsa na mediação “estar ostomizado” e “estar profissional”: analise de uma estratégia pedagógica [tese]. São Paulo: Escola de Enfermagem/USP. Rev. latino-am. Enfermagem. Ribeirão Preto. 2006,8 (3)40-50.Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v8n3/12398.pdf [Acesso em: 10 abr 2018].

Barros, EJL; Santos, SSC; Erdmann, AL. Rede social de apoio às pessoas idosas estomizadas à luz da complexidade. Rev Acta paul. enferm., v. 21, n. 4, p.595-601. 2008. Disponível em http://www.ppgenf.furg.br/images/02_Teses/2012/Edaiane.pdf [Acesso em: 02 abr 2018].

Cesaretti, I.U.R; Paula, P.R; Paula, M.A.B. Estomaterapia: Temas Básicos em Estomas. Cabral. Taubaté- SP. 2006. p.137- 158.

Tosato, S.R; Zimmermann, M.H. Conhecimento do indivíduo ostomizado em relação ao autocuidado. Revista Conexão UEPG. 2006,1(1):34 – 37. Disponível em: http://www.revistas2.uepg.br/index.php/conexao/article/viewFile/3850/2726 [Acesso em 18 abr 2018].

Orem DE. Nursing: concepts of practice. St Louis: Mosby; 1991.

WCET. The World Council of Enterostomal Therapists Journal. WCET International Ostomy Guideline Recommendations [Internet]. 2014[cited 2014 Sep 10];34(2). Available from: http://www.wcetn.org/assets/Publications/wcet_april-june_2014f%20iog%20recommandations.pdf

Ursi, E. S. Prevenção de Lesões de Pele no Perioperatório : revisão integrativa da literatura. Esc. de Enferm. de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto, p. 128 , 2005. Disponível em:<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692006000100017&lng=pt&tlng=pt>. Acesso em: 15 abr 2018.

Mendes, K. D. S.; Silveira, R. C. D. C. P.; Galvão, C. M. Revisão Integrativa: Método De Pesquisa Para A Incorporação De Evidências Na Saúde E Na Enfermagem. Texto Contexto Enferm, Florianópolis, 17(4):758 - 764, out-dez 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072008000400018>. Acesso em: 20 abr 2018.

Mauricio VC, Dantas de Oliveira Souza NV, Luz Lisboa MT. Determinantes biopsicossociais do processo de inclusão laboral da pessoa estomizada. Revista Brasileira de Enfermagem. 2014;67(3).

Albuquerque A, Pinheiro AK, Linhares FM, Guedes TG. Tecnologia para o autocuidado da saúde sexual e reprodutiva de mulheres estomizadas. Rev. Bras. Enferm., Brasília. 2016 Nov;69(6):1164-71.

As contribuições do enfermeiro no autocuidado ao paciente estomizado: uma revisão integrativa

Publicado
2019-06-28
Seção
Enfermagem