A influência da Compreensão da Perspicácia do Enfermeiro e seu manejo clínico na Unidade de Cuidado Paliativo.

Resumo

A relevância do estudo e a importância da atuação do enfermeiro encontram-se, em suas variadas dimensões, tem no desempenho profissional. Implicações negativas geradas pela pouca visibilidade da enfermagem estão relacionadas a insatisfação e ausência de motivação no contexto de trabalho. A falta de visibilidade da profissão pela equipe de saúde e pelos pacientes pode comprometer a construção de vínculos, como também a efetivação do cuidado. Apesar de existir uma equipe multidisciplinar nos cuidados paliativos, o enfoque será na atuação do Enfermeiro na unidade de cuidados paliativos.  Buscando, confrontar os seus deveres e direitos para a assistência aos pacientes, focando no paciente em fase terminal de câncer.  Tendo como metodologia pesquisa de campo, qualitativa e quantitativa de caráter exploratório, sendo utilizado uma questionário para realizar a pesquisa com os profissional enfermeiro plantonista e diarista do Hospital Cruz Vermelha Brasileira.

Biografia do Autor

Rayssa Revellem Assis Silva, Universidade de Vassouras

Acadêmica do Curso de Enfermagem da Universidade de Vassouras

Sebastião Jorge da Cunha Gonçalves, Universidade de Vassouras

Professor Mestre. Docente do Curso de Enfermagem da Universidade de Vassouras

Referências

A situação do câncer no Brasil/Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Instituto Nacional de Câncer, Coordenação de Prevenção e Vigilância. -Rio de Janeiro: INCA, 2006.

ABC do Câncer. Instituto Nacional do Câncer - Abordagens Básicas para o controle de Câncer. Ministério da Saúde - Rio de Janeiro, 2011.

ALMEIDA, M.C.P.; ROCHA, U.S.Y. O saber da Enfermagem e sua dimensão prática. São Paulo: Cortez, 1886.

ARAÚJO, H. M. A.; SILVA, R. M.; BONFIM, I. M.; FERNANDES, A. F. C. A comunicação da enfermeira na assistência de enfermagem à mulher mastectomizada: um estudo de Ground Theory. Rev. Latino – am. Enferm. Vol. 18, n.1, pp. 1 – 7, 2010.

ARAUJO, M. M. T.; SILVA, M. J. P.; Comunicando-se com o paciente terminal. Revista Soc. Bras. Câncer, v. 6, n.23, p.16-20, 2003.

BRANDÃO, C. Câncer e cuidados paliativos: definições. Rev. Prática Hospitalar, São Paulo, n.42, p.54-56, nov-dez, 2005.

CASANOVA, E. G.; LOPES, G. T. Comunicação da equipe de enfermagem com a família do paciente. Rev. Bras. de Cancerologia. Vol. 62, n. 6, pp. 831 – 836, 2009.

D’AQUINO, M. O.; SOUZA, R. M. Hipodermóclise ou via Subcutânea – Hospital Universitário Pedro Ernestro – vol.11, n. 2. Abr/Jun – 2012.

DALFOVO, M. S.; LANA, R. A.; SILVEIRA, A. Métodos quantitativos e qualitativos: um resgate teórico. Revista Interdisciplinar Científica Aplicada, Blumenau, v.2, n.4, p.01-13, 2008.

DALFOVO, M. S.; LANA, R. A.; SILVEIRA, A. Métodos quantitativos e qualitativos: um resgate teórico. Revista Interdisciplinar Científica Aplicada, Blumenau, v.2, n.4, p.01- 13, Sem II. 2008.

Desenvolvimento dos Cuidados Paliativos em Portugal – Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos, Portugal - fevereiro, 2016.

FARIAS, C. A aprendizagem do cuidar e a morte: um designo do enfermeiro em formação. Loures(Pt): Lusociência, 2003.

FARIAS, C. O processo de contrução de cuidaods enfermeiro/pessoa em sim de vida: encontro de corpos. 2011. 213 f. Dissertação (Mestrado). Universidade de Lisboa. Lisboa, 2011.

FERREIRA K.A., SANTOS A.C. Hipodermóclise e administração de medicamentos por via subcutânea: Uma técnica do passado com futuro. Prática Hosp. 2009;6(65):109-14.

FONSECA, J. V. C.; REBELO, T. Necessidades de cuidados de enfermagem do cuidador da pessoa sob cuidados paliativos. Lisboa/Portugal, 2010.

FUNDAÇÃO DO CÂNCER. Cuidados Paliativos. Disponível em: <https://www.cancer.org.br/expansao-dos-cuidados-paliativos/> . Acesso em: 12 ago. 2018.

GAMES, A. L. Z.; OTHERO, M. B. Cuidados paliativos. Estudos Avançados, 30, p. 155-166, 2016.

GOLDENBERG, M. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualotativa em Ciências Sociais – 8ª edição – Rio de Janeiro: Record, 2004.

HERMES, H. R.; LAMARCA, I. C. A. Cuidados paliativos: uma abordagem a partir das categorias profissionais de saúde. Ciências e Saúde Coletiva, p. 2577- 2588, 2013.

http://www1.inca.gov.br/conteudo_view.asp?ID=474. Acessado em 24 out 2017 às 10hs 23min.

INCA - Instituto Nacional do Câncer. Disponível em: <http://www.inca.gov.br/estimativa/2018/casos-taxas-brasil.asp>. Acesso em: 13 de agosto 2018.

KOVÁCS, M. J. Educação para morte: temas e reflexões. São Paulo: casa do psicólogo, 2003 a. In: SANTOS, F.S. Cuidados Paliativos: discutindo a vida, a morte e o morrer. São Paulo: Atheneu, p. 46, 2009.

KRUSE, M. H. L.; VIEIRA, R. W.; AMBROOSIN, L.; NIEMEYER, F.; SILVA, F. P. Cuidados Paliativos: Uma experiência. Revista do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, p. 49 – 52, 2007.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de metodologia científica. São Paulo: 1996.

Manual de cuidados paliativos / Academia Nacional de Cuidados Paliativos – Rio de Janeiro: Diagraphic, 2009.

MARTINS, Heloisa Helena Teixeira de Souza. Metodologia qualitativa de pesquisa. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.30, n.2, p. 289-300, maio/ago. 2004. p. 289-300.

MINAYO, M.C.; DESLANDES, S.F.; NETO, O.C.; GOMES, R. Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. Petrópolis, Rio de Janeiro: Ed. Vozes, 1994.

PACHECO, S. Cuidar a pessoa em fase terminal: perspectiva ética. 2.ed. Loudes(Pt): Lusociência, 2004.

PARKES, C. M. Luto: estudos sobre a perda na via adulta. 3.ed. São Paulo: Summus Editorial, 1998.

ROCUMBACK, Natalie. Enfermagem: História da Enfermagem no Brasil. Disponível em: <http://natalierocumback.tripod.com/id13.html#>. Acesso em: 10 jan. 2018.

SALES, C. A.; ALENCASTRE, M. B. Cuidados paliativos: uma perspectiva de assistência integral à pessoa com neoplasia, Revista Brasileira de Enfermagem. vol.56 no.5 Brasília Set./Out. 2003.

SANTOS, F. S. Cuidados Paliativos: discutindo a vida, a morte e o morrer. São Paulo. Ed Atheneu, 2009.

SILVA, R. S.; AMARAL, J, B.; MALAGUTTI, W. Cuidando para uma boa morte. Enfermagem em Cuidados Paliativos. 1ª edição – São Paulo, 2013.

SOUZA, A. S.; VALADARES, G. V. Desvelando o saber/fazer sobre o diagnóstico de enfermagem: experiência vivida em neurocirurgia oncológica. Revista Brasileira de Enfermagem, vol. 64, n. 5, pp. 890 – 897, 2011.

SOUZA, M. G. G.; SANTO, F. H. E. O olhar que olha o outro... um estudo com familiares de pessoas em quimioterapia antineoplásica. Revista Brasileira de Cancerologia, vol. 54, n.1, pp. 31 – 41, 2008

Publicado
2019-06-30
Seção
Artigos