Percepção de mães primiperas sobre o beneficio da amamentação

Resumo

A amamentação exclusiva praticada até os seis meses de idade da criança é uma das formas mais eficazes de reduzir a morbimortalidade infantil. Este estudo teve como objetivo investigar a percepção de mães primíparas sobre a importância do aleitamento materno exclusivo durante os primeiros seis meses de vida da criança. Foi realizado um estudo exploratório descritivo com abordagem qualitativa com 30 nutrizes adstritas em seis unidades da Estratégia da Saúde da Família do município de Vassouras, estado do Rio de Janeiro. A amamentação exclusiva foi relatada em 60% das mães; 80% delas amamentaram seus bebês logo após o nascimento. A maioria expressiva das mães (97%) estava ciente dos benefícios da amamentação exclusiva até o sexto mês de idade da criança. No entanto, o trabalho fora de casa, a crença de que o leite era insuficiente e a percepção de que os bebês ainda ficavam com fome após a amamentação, foram as principais razões para a introdução precoce de outros tipos de alimentos. Verificou-se que a necessidade de voltar ao trabalho está significativamente associada com a interrupção da prática do aleitamento materno exclusivo até o sexto de vida da criança. Os achados desta pesquisa identificaram lacunas no conhecimento das mães primíparas em relação aos benefícios do aleitamento materno para elas. Sugere-se que o enfermeiro que prestam cuidados a gestantes e puérperas, independente da complexidade das unidades de saúde, incluam no cuidado informações específicas sobre os benefícios do aleitamento materno para o binômio mãe/filho. Isso poderá contribuir para aumentar o conhecimento das mães, além de encorajá-las a amamentar por mais tempo os seus filhos

Biografia do Autor

Luiz Fernando Correa, Universidade de Vassouras
Acadêmico do Curso de Enfermagem, Universidade de Vassouras
Alessandra da Silva Souza, Universidade de Vassouras

Mestre. Professor do Curso de Enfermagem, Universidade de Vassouras

Publicado
2019-06-28
Seção
Enfermagem