O autocuidado em pacientes estomizados a luz de Dorothea Orem: da reflexão ao itinerário terapêutico

  • Wanderson Alves Ribeiro Universidade Federal Fluminense - UFF
  • Marilda Andrade Universidade Federal Fluminense - UFF
Palavras-chave: Autocuidado, Cuidados de Enfermagem, Enfermagem, Estomia

Resumo

Originado do projeto de Mestrado Acadêmico em Ciências do Cuidado em Saúde pela Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, que tem como Objetivo Geral: Discutir o autocuidado realizado pelo paciente estomizado intestinal à luz de Dorothea Orem e como Objetivos Específicos: Identificar os déficits do autocuidado do paciente estomizado intestinal; Descrever os requisitos do autocuidado realizado pelo paciente estomizado intestinal; Analisar a participação do enfermeiro no cuidado ao paciente estomizado intestinal, através do Sistema de Enfermagem proposto por Orem. No que tange ao autocuidado, Orem (1991) refere que todos os seres humanos têm potencial para desenvolver suas habilidades intelectuais e práticas, além da motivação essencial para o autocuidado. Refere ainda que o autocuidado tem como propósito o desempenho ou prática de atividades que os indivíduos realizam em seu benefício para manter a vida, a saúde e seu bem estar. O modelo propõe que todos os pacientes sejam encorajados a cuidar de si próprios e tenham participação ativa no processo de cuidados. Para o caminho metodológico, Trata-se-ar de um estudo exploratório descritivo, tendo como fonte de informação a pesquisa de campo e abordagem mista (QUANT + QUALI) sobre o autocuidado realizado pelo pacientes estomizados em um município da Metropolitana II, em um Núcleo de Atenção à Pessoa Estomizada. A abordagem aos possíveis sujeitos da pesquisa será realizada no dia da consulta dos mesmos com a enfermeira estomaterapeuta no ambulatório ou no momento que comparecerem para retirada dos dispositivos coletores. Para produção dos dados, utilizar-se-ão roteiro de entrevista semi-estuturada, com subsídio de gravação dos áudios para posterior tratamento dos dados.

Biografia do Autor

Wanderson Alves Ribeiro, Universidade Federal Fluminense - UFF
Enfermeiro. Mestrando Acadêmico em Ciências do Cuidado em Saúde pela Escola de Enfermagem Aurora Afonso Costa da Universidade Federal Fluminense - UFF
Marilda Andrade, Universidade Federal Fluminense - UFF
Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Vice-Diretora, Professora Associada Escola de Enfermagem Aurora Afonso Costa da UFF, Niterói/RJ.

Referências

Cesaretti IUR; Paula PR; Paula MAB. Estomaterapia: Temas Básicos em Estomas. Cabral. Taubaté- SP. 2006. p.137- 158.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Portaria Nº 400, de 16 de Novembro 2009. [portaria na internet] .Brasília: Ministério da Saúde, 2009. [Acesso em: 02 jun 2017]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/sas/2009/prt0400_16_11_2009.html

Barros EJL; Santos SSC; Erdmann AL. Rede social de apoio às pessoas idosas estomizadas à luz da complexidade. Rev Acta paul. enferm. [periódicos na internet]. 2008. [Acesso em: 02 jun 2017]. 21(4): 595-601. Disponível em http://www.ppgenf.furg.br/images/02_Teses/2012/Edaiane.pdf

Orem DE. Nursing: concepts of practice. St Louis: Mosby; 1991.

Silva IJ. Cuidado, autocuidado e cuidado de si: uma compreensão paradigmática para o cuidado de enfermagem. Rev Esc Enferm [periódicos na internet]. 2009. [Acesso em: 01 jun 2017]. 2(3): 697-703. Disponível em: www.ee.usp.br/reeusp/.

Santos VLCG; Cesaretti IUR. Assistência em estomaterapia - cuidando do ostomizado. São Paulo: Editora Atheneu; 2001.

Creswell JW; Clarck, VLP. Pesquisas de métodos Misto – Série métodos de pesquisa. 2.ed. Porto Alegre: Penso, 2013.

Creswell, J.W. Research design: Qualitative, quantitative, and mixed methods approaches. Thousand Oacs, Ca: Sage, 2014.

Neto OCO. Trabalho de campo como descoberta e criação. In: MINAYO, M. C. S; Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 22. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.

Bardin, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2010. 281 p.

Publicado
2018-12-21