Analise das amostras insatisfatórias do exame citopatológico do colo do útero nas regiões brasileiras: um estudo retrospectivo

  • Wanderson Alves Ribeiro Universidade Federal Fluminense
  • Marilda Andrade Universidade Federal Fluminense
  • Bruna Porath Azevedo Fassarella Universidade de Vassouras
  • Pedro Paulo Correa Santana Universidade Federal Fluminense
  • Vanessa Vicente Alves Coutinho Centro Universitário Uniabeu
  • Leandro Sperendio de Oliveira Universidade Estácio de Sá.
  • Denis dos Santos Pinheiro Universidade Federal Fluminense
Palavras-chave: Câncer do Colo do Útero, Controle de Qualidade, Teste de Papanicolau

Resumo

Trata-se de uma pesquisa retrospectiva de abordagem quantitativa e caráter descritivo, a partir de dados coletados no Painel de Percentual de amostras insatisfatórias nas Regiões Brasileiras, segundo os boletins disponibilizados no site INCA, que objetivou descrever as amostras insatisfatórias no exame citopatológico do colo do útero no período de 2007 a 2013. Como metodologia, utilizou-se a Biblioteca Virtual de Saúde, nas bases de informações LILACS, MEDLINE e SCIELO, com recorte temporal de 2012 a 2017, além de Manuais do Ministério da Saúde referente à temática estabelecida. A coleta insatisfatória representa gastos para o sistema de saúde e pode ter relação com o pequeno alcance das competências propostas para a capacitação das equipes de saúde, temperatura climática de cada região, grandes problemas que os laboratórios de citopatologia e dessecamento também podem resultar desgaste físico da mulher, que ao retornar à unidade de saúde, deverá ser submetida a uma nova coleta. Conclui-se que há relevância no diagnóstico precoce de lesões que antecedem o câncer de colo do útero para tratamento e, assim, diminuição da mortalidade.

Biografia do Autor

Wanderson Alves Ribeiro, Universidade Federal Fluminense
Enfermeiro. Mestrando Acadêmico em Ciências do Cuidado em Saúde pela Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa da UFF, Niterói/RJ. Docente do Curso de Graduação da UNIG. Preceptor Acadêmico do Curso de Graduação em Enfermagem da UNIABEU. E-mail: nursing_war@hotmail.com
Marilda Andrade, Universidade Federal Fluminense
Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Vice-Diretora, Professora Associada Escola de Enfermagem Aurora Afonso Costa da UFF.
Bruna Porath Azevedo Fassarella, Universidade de Vassouras
Enfermeira. Mestranda em Ciências Aplicadas em Saúde da Universidade de Vassouras
Pedro Paulo Correa Santana, Universidade Federal Fluminense
Enfermeiro. Doutorando em Ciências do Cuidado em Saúde pela Escola de Enfermagem Aurora Afonso Costa da Universidade Federal Fluminense – Niterói/RJ. Professor Assistente do Centro Universitário Anhanguera de Niterói
Vanessa Vicente Alves Coutinho, Centro Universitário Uniabeu
Acadêmica do Curso de Graduação de Psicologia do Centro Universitário Uniabeu.
Leandro Sperendio de Oliveira, Universidade Estácio de Sá.
Acadêmico do Curso de Graduação de Enfermagem da Universidade Estácio de Sá.
Denis dos Santos Pinheiro, Universidade Federal Fluminense
Enfermeiro. Pós-Graduado em Terapia Nutricional e Nutrição Clínica pelo Ganep Nutrição Humano. Pós-Graduado em Enfermagem Gerontológica pela EEAAC/UFF.

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Cadernos de Atenção Básica. Controle dos cânceres do colo do útero e da mama. Boletin ano 6. Brasília, DF, 2015.

Brasil. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Estimativa 2010: incidência de câncer no Brasil. Rio de Janeiro: INCA; 2009.Disponível em: http://www.inca.gov.br/ estimativa/2010/

Santiago, Thatiany Rodrigues; Andrade, Magna Santos; Paixão, Gilvania Patrícia do Nacimento. Conhecimento e prática das mulheres atendidas na unidade de saúde da família sobre o Papanicolaou. Rev. Enferm. UERJ. 2014. 22(6):822-829. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v22n6/v22n6a16.pdf

Brasil. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Caderno de atenção básica - Controle dos cânceres do colo do útero e da mama. Brasília: Ministério da Saúde, 2013.

Guimarães JAF, Aquino PS, Pinheiro AKB, Moura JG. Pesquisa brasileira sobre prevenção do câncer de colo uterino: uma revisão integrativa. Rev Rene. 2012. 13(1): 220-30. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/rene/article/view/3797/2997

Aguilar, Rebeca Pinheiro; Soares, Daniela Arruda. Barreiras à realização do exame Papanicolau: perspectivas de usuárias e profissionais da Estratégia de Saúde da Família da cidade de Vitória da Conquista-BA. Physis: Revista de Saúde Coletiva. 2015. 25(2): 359-379. Disponível http://dx.doi.org/10.1590/s0103-73312015000200003.

PINHO, MCV; JODAS, DA; SCOCHI, MJ. Profissionais de saúde e o programa de controle do câncer do colo uterino e mama. Rev Enferm UFSM 2012. 2(2):242-251. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/4418/3748

Nascimento, Rafaella Gontijo do; Araðjo, Alisson. Lack of periodicity in realization the cytological examination of the cervix: motivations of women. Reme: Revista Mineira de Enfermagem.2014. 18(3): 557-564 Disponível em. http://dx.doi.org/10.5935/1415-2762.20140041.

Freitas, HG; Thuler, LCS. Monitoramento externo da qualidade dos exames citopatológicos cervicais realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no Estado de Mato Grosso do Sul. Rev Bras Ginecol Obstet. 2012. 34(8): 351-6 Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v34n8/02.pdf

Diógenes MAR, Cesarino MCF, Jorge RJB, Queiroz INB, Mendes RS. Fatores de risco para câncer cervical e adesão ao exame papanicolau entre trabalhadoras de enfermagem. Rev Rene. 2012; 13(1): 200-10. Disponivel em: 200.129.29.202/index.php/rene/article/view/3795/2996

Santos, RP; Almeira, ACHA. prevalência de lesão intra-epitelial em exames preventivos coletados por acadêmicos de enfermagem: 2008-2012. Cogitare Enfermagem. 2014. 19(2): 347-53. Disponível em :<http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=483647661020>

Ministério da Saúde (BR). Controle dos cânceres do colo do útero e da mama. 2ª edição. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2013. (Caderno Atenção Básica, n° 13).

Silva, Keila et al. Integralidade no cuidado ao câncer do colo do útero: avaliação do acesso. Revista de Saúde Pública. 2014. 48(2): 240-248. Disponível em http://dx.doi.org/10.1590/s0034-8910.2014048004852.

Silva, Silvio Eder Dias da et al. Social representations about the disease of women with cervico-uterine cancer. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online. 2016. 8(1): 3667-3678. Disponível em: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2016.v8i1.3667-3678

Brasil. Ministério da Saúde. Cadernos de Atenção Básica. Controle dos cânceres do colo do útero e da mama. Boletin ano 6. Brasília, DF, 2015.

Oliveira MV, Almeida MC. Prevalência de citologia inflamatória cervical em mulheres atendidas pelo laboratório de citologia da fundação de saúde de Vitória da Conquista: achados citológicos e agentes causais. C&D-Revista Eletrônica da Fainor. 2014. 7(1): 184-98 Disponível: http://srv02.fainor.com.br/revista/index.php/memorias/article/view/278.

Geremia, DA; Derner, T; Rosa, M; Antunes, TR; Gasparim, VA; Avaliação da adequabilidade da coleta do exame citopatológico na

Estratégia Saúde da Família. Revista ACRED. 2016. 6(11): 99 – 108. Disponível em: http://cbacred.tempsite.ws/ojs/index.php/Acred01/article/view/237/282

COFEN. RESOLUÇÃO COFEN Nº 381/2011. Publicado Portal do Cofen - Conselho Federal de Enfermagem, e no DOU nº 140, pág. 229 - seção 1.

Nai GA, Souza KKG, Rodrigues ER, Barbosa RL. Presença de células da junção escamo-colunar em esfregaços cérvico-vaginais de mulheres acima de 40 anos. Rev Bras Ginecol Obstet. 2011; 33(3): 128-32. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/rbgo/v33n3/a05v33n3.pdf

Publicado
2018-12-21