Resiliência e Busca de Sentido de Vida na Velhice Frente aos Desafios do Caminho da Existência

  • Ivana de Oliveira
  • Fátima Niemeyer da Rocha
Palavras-chave: Psicologia Positiva, Logoterapia, Resiliência, Sentido de Vida, Velhice.

Resumo

O trabalho objetiva investigar de que maneira o indivíduo, principalmente, o velho, pode enfrentar de modo eficaz e adequado os desafios que se apresentam no decorrer do caminho da existência. Tem por base uma revisão da literatura especializada dos subsídios teóricos da Psicologia Positiva e da Logoterapia, segundo os quais é possível aprender a ser resiliente, como também aumentar, fortalecer e desenvolver o nível de resiliência, por meio do desenvolvimento de recursos internos, tendo em vista que os desafios que o velho encontra ao longo da vida podem ser reconhecidos como oportunidades para a adoção de decisões melhores e mais responsáveis, mantendo-se íntegro nas adversidades, não só superando-as, mas se transformando, crescendo e reinventando-se a partir das mesmas. Infere-se que a proposta de atuação do psicólogo na velhice visa à ajuda na construção conjunta de estratégias alternativas para o enfrentamento dos desafios da vida cotidiana, já que esse último estágio do ciclo de vida é marcado por inúmeras perdas nos âmbitos biopsicosociocultural, o que torna imprescindível tanto o resgate do bem-estar psicológico, como a busca de sentido de vida do indivíduo velho.

Referências

ALVARENGA, Líria Núbia et al. Repercussões da aposentadoria na

qualidade de vida do idoso. Rev. Esc. Enferm., USP, São Paulo, v. 43, n. 4, p. 796-802, Dec. 2009.

ANGST, Rosana. Psicologia e resiliência: uma revisão de literatura. Rev. Psicol. Argum., Curitiba, v. 27, n. 58, p. 253-260, jul./set. 2009.

ARAÚJO, Ludgleydson Fernandes de; CARVALHO, Virgínia Ângela M.

de Lucena e. Aspectos sociohistóricos e psicológicos da velhice.Mneme: Revista de Humanidades, v. 6, n. 13, p. 228-236, dez.2004/jan.2005.

BOAS, Magda Lúcia Villas.Terceira Idade: uma experiência de amor -

terapia corporal para idosos. São Paulo: Paulinas, 1994.

COCENTINO, Jamille Mamed Bomfim; VIANA, Terezinha de Camargo.

A velhice e a morte: reflexões sobre o processo de luto. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro, v. 14, n. 3, p. 591-599, 2011.

DEBERT, Guita Grin. A reinvenção da velhice: socialização e processos de reprivatização do envelhecimento. São Paulo: Universidade de São Paulo/Fapesp, 2004.______. Velhice e o curso da vida pós-moderno. Revista USP, São Paulo, n.42, p.70-83, jun-ago, 1999.

DURGANTE, Carlos Eduardo Accioly. Planejando o futuro: a busca da

saúde integral em seus aspectos físicos, emocionais e espirituais. Rio de Janeiro: Novo Ser, 2011.

ERIkSON, Erik. O ciclo de vida completo. Porto Alegre: Artes Médicas,

FRANkL, Viktor Emil. Em busca de sentido: um psicólogo no campo de concentração. São Leopoldo: Sinodal/Petropólis: Vozes, 2008.

______. Um sentido para a vida: psicoterapia e humanismo. São Paulo: Ideias & Letras, 2005.

______. Logoterapia e análise existencial: textos de seis décadas. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

______. A vontade de sentido: fundamentos e aplicações da logoterapia. São Paulo: Paulus, 2011.

FREIRE, Sueli Aparecida; RESENDE, Marineia Crosara de. Estudos e

intervenções para a promoção da velhice satisfatória. Psicol. Am. Lat.,

México, n. 14, out.2008.

GRAZIANO, Lilian. Psicologia positiva: a psicologia da felicidade. Rev.

Ciência & SaúdePsique, USP, ed. esp., Editora Escala, São Paulo, a.III,

n.8, p.6-11, 2008.

HEREDIA, Vania Beatriz Merlotti; CORTELLETTI, Ivonne Assunta;

CASARA, Miriam Bonho. Abandono na velhice. Textos Envelhecimento, Rio de Janeiro, v. 8, n. 3, p. 307-319, 2005.

kROEFF, Paulo. Logoterapia: uma visão da psicoterapia. Rev. abordagem gestalt,Goiânia, v. 17, n. 1, p. 68-74, jun., 2011.

LIMA, Ângela Maria Machado de; SILVA, Henrique Salmazo da; GALHARDONI, Ricardo. Envelhecimento bem-sucedido: trajetóriasde um constructo e novas fronteiras. Interface, Botucatu, v. 12, n. 27, p. 795-807, Dec. 2008.

MELILLO, Aldo; OJEDA, Elbio Néstor Suárez et al.(Org.)Resiliência:

descobrindo as próprias fortalezas. Tradução de Valério Campos. Porto Alegre: Artmed, 2005.

MENDEL, Patrícia. PELISOLI, Cátula. Preciosa: a escola como um contexto potencializador de proteção e resiliência. Revista e-Lato Sensu- FACOS/CNEC, v.2, p.66-94, 2012.

MOREIRA, Virgínia; NOGUEIRA, Fernanda Nícia Nunes. Do

indesejável ao inevitável: a experiência vivida do estigma de envelhecer na contemporaneidade. Psicol. USP, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 59-79, Mar. 2008.

NERI, Marina Liberalesso. Velhice bem-sucedida: aspectos afetivos e

cognitivos. Psico-USF(Impr.), Itatiba, v. 9, n. 1, p. 109-110, Jun 2004.

OLIVEIRA, Eylla kamylle de Santana; SILVA, Joilson Pereira da. Sentido de vida e envelhecimento: relação entre os pilares da logoterapia e bem-estar psicológico. Rev. Logos & Existência, Universidade Federal de Sergipe, Sergipe, v.2, n.2, p.135-146, 2013.

OLIVEIRA, Marileide A. de et al. Resiliência: Análise das Publicações no Período de 2000 a 2006. Psicol. cienc. prof., Brasília, v. 28, n. 4, p. 754-767, dez. 2008.

PALUDO, Simone dos Santos; kOLLER, Sílvia Helena. Psicologia positiva: uma nova abordagem para antigas questões. Paidéia, Ribeirão Preto, v.17, n.36, p. 9-20, abr. 2007.

PINHEIRO, Débora Patrícia Nemer. A resiliência em discussão. Psicol.

estud., Maringá, v.9, n.1, p.67-75, 2004.

PEREIRA, Ivo Studart. A vontade de sentido na obra de Viktor Frankl.

Psicol. USP, São Paulo, v. 18, n.1, p. 125-136, Mar. 2007.

REIS, Léa Maria Aarão. Novos velhos: viver e envelhecer bem. Rio de

Janeiro: Record, 2011.

RODRIGUES, Mirian Lauriano; SACHUk, Maria Iolanda. Resiliência:

um estudo com gerentes de uma instituição financeira que vivenciaram uma operação de aquisição. RFC revista faz ciência, Unioeste, Paraná, v. 14, n. 20, p.33-57, Jul/Dez, 2012.

SANTOS, Silvana Sidney Costa. Concepções teórico-filosóficas sobre

envelhecimento, velhice, idoso e enfermagem gerontogeriátrica. Reben: Revista Brasileira de Enfermagem,Brasília, nov-dez, 63(6):1035-9, 2010.

SARTORI, Adriana C. R.; ZILBERMAN, Monica L. Revisitando o conceito de síndrome do ninho vazio. Rev. Psiquiatr. Clín., São Paulo, v. 36, n. 3, p. 112-121, 2009.

SECUNHO, Celiane Ferreira. Resiliência: a arte de enfrentar a adversidade no ciclo da vida. Brasília: Thesaurus, 2012.

SELIGMAN, Martin E. P. Florescer: uma nova compreensão sobre a

natureza da felicidade e do bem-estar. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011.

SILVEIRA, Daniel Rocha; MAHFOUD, Miguel. Contribuições de Viktor

Emil Frankl ao conceito de resiliência. Estud. psicol., Campinas, v. 25, n. 4, p. 567-576, Dec., 2008.

SNyDER, C. R.; LOPEZ, Shane J. Psicologia positiva: uma abordagem

científica e prática das qualidades humanas. Porto Alegre: Artmed, 2009.Oliveira & Rocha, 2016.12

Revista Mosaico. 2016 Jan./Jun.; 07 (1): 04-12

TEIXEIRA, Ilka Nicéia D’Aquino Oliveira; NERI, Anita Liberalesso.

Envelhecimento bem-sucedido: uma meta no curso da vida. Psicol. USP, São Paulo, v. 19, n. 1, p. 81-94, mar. 2008.

yUNES, Maria Angela Mattar. Psicologia positiva e resiliência: o foco no

indivíduo e na família. Psicol. estud., Maringá, v.8, n.spe, p.75-84, 2003.

Publicado
2016-07-01
Seção
Dossiê Temático: Experiência e Inovação