Violência Obstétrica: a dor que tem cor e gênero

Autores

  • Tamires Maria Neves Brandão Universidade de Vassouras
  • Maria Clara de Mello Andrade

DOI:

https://doi.org/10.21727/rm.v13i1.2996

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo geral trazer uma reflexão crítica às práticas assistenciais do parto, buscando apontar como a “violência obstétrica” se apresenta, tendo como objetivo especifico explicar como ela alimenta outros tipos de discriminações como a de gênero e a racial, e como a informação pode contribuir para que os direitos dessas mulheres sejam preservados desde a gestação até o puerpério. Bem como discorrer sobre as relações de poder sobre o corpo da mulher, as medidas de prevenção da violência obstétrica apresentadas pelo governo brasileiro e algumas contradições, e as possibilidades de enfrentamento dessa violência. Como metodologia utilizou-se a revisão de literatura especializada no tema, por meio de buscas em periódicos eletrônicos, artigos, livros, cartilhas, publicações oficiais nacionais e internacionais e legislações internacionais e nacionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-04-19

Edição

Seção

Dossiê Temático: Violência contra a mulher