Suporte piscológico para cuidadores primários de crianças com microcefalia induzida por Zika Virus: Uma revisão

  • Cristiana Paula da Silva Psicóloga, Graduada pela Universidade de Vassouras, Vassouras-RJ, Brasil
  • Juliana Fernandes de Souza Ribeiro Psicóloga, Mestre em Ensino de Ciências da Saúde e do Ambiente – UNIPLI (Niterói-RJ, Brasil); Especialista em Psicologia Hospitalar pelo CFP; Professora do Curso de Gradua­ção em Psicologia da Universidade de Vassouras (Vassouras-RJ, Brasil).
  • Larissa Alexsandra da Silva Neto Trajano Doutora em Ciências (Biologia Humana e Experimental – BHEx) pela UERJ, Professora Adjunto da Universidade de Vassouras, Vassouras-RJ, Brasil
  • Eduardo Tavares Lima Trajano Doutor em Ciências (Biologia Humana e Experimental – BHEx) pela UERJ, Professor do Mestrado Profissional em Ciências Aplicadas em Saúde da Universidade de Vassouras, Vassouras-RJ, Brasil
  • Carlos Eduardo Cardoso Doutor em Ciências (Química Analítica) pela PUC-RJ, Professor do Mestrado Profissional em Ciências Aplicadas em Saúde da Universidade de Vassouras, Vassouras-RJ, Brasil
  • Marco Aurélio dos Santos Silva Doutor em Ciências (Biologia Humana e Experimental – BHEx) pela UERJ, Professor do Mestrado Profissional em Ciências Aplicadas em Saúde da Universidade de Vassouras, Vassouras-RJ, Brasil

Resumo

O Brasil chamou a atenção do mundo recentemente devido ao surto de pessoas infectadas por Zika Virus (ZIKV) e por mulheres cujos recém-nascidos apresentavam microcefalia após infecção durante a gestação. Recentemente as pesquisa avançaram na área da prevenção da contaminação e nos casos de microcefalia. Entretanto, os pais ou cuidadores primários (cuidadores familiares) dessas crianças, que hoje têm aproximadamente 4 anos de idade, permanecem sem a merecida atenção. Os cuidadores familiares dessas crianças com microcefalia induzida por ZIKV podem apresentar os mesmos problemas de outros cuidadores. A maioria dos cuidadores familiares apresentam sintomas de estresse, depressão e ansiedade, onde quanto maior o grau de dependência da criança, menor é a qualidade de vida deles, tornando-os indicados a programas suporte psicológico. O objetivo desse estudo foi realizar uma revisão sobre o apoio psicológico para cuidadores familiares de crianças com microcefalia induzida por ZIKV. Após esta revisão de literatura ficou claro que os desafios dos cuidados de crianças vítimas de microcefalia induzida por ZIKV permanece ofuscada pela preocupação mundial de conter a epidemia. O que prolonga identificação precoce principalmente de estresse e depressão nos cuidadores familiares atrasando a inserção deles em programas de apoio psicológico para melhora de sua qualidade de vida.

Biografia do Autor

Cristiana Paula da Silva, Psicóloga, Graduada pela Universidade de Vassouras, Vassouras-RJ, Brasil

Psicóloga, Graduada pela Universidade de Vassouras, Vassouras-RJ, Brasil

Juliana Fernandes de Souza Ribeiro, Psicóloga, Mestre em Ensino de Ciências da Saúde e do Ambiente – UNIPLI (Niterói-RJ, Brasil); Especialista em Psicologia Hospitalar pelo CFP; Professora do Curso de Gradua­ção em Psicologia da Universidade de Vassouras (Vassouras-RJ, Brasil).

Psicóloga, Mestre em Ensino de Ciências da Saúde e do Ambiente – UNIPLI (Niterói-RJ, Brasil); Especialista em Psicologia Hospitalar pelo CFP; Professora do Curso de Gradua­ção em Psicologia da Universidade de Vassouras (Vassouras-RJ, Brasil).

Larissa Alexsandra da Silva Neto Trajano, Doutora em Ciências (Biologia Humana e Experimental – BHEx) pela UERJ, Professora Adjunto da Universidade de Vassouras, Vassouras-RJ, Brasil

Doutora em Ciências (Biologia Humana e Experimental – BHEx) pela UERJ, Professora Adjunto da Universidade de Vassouras, Vassouras-RJ, Brasil

Eduardo Tavares Lima Trajano, Doutor em Ciências (Biologia Humana e Experimental – BHEx) pela UERJ, Professor do Mestrado Profissional em Ciências Aplicadas em Saúde da Universidade de Vassouras, Vassouras-RJ, Brasil

Doutor em Ciências (Biologia Humana e Experimental – BHEx) pela UERJ, Professor do Mestrado Profissional em Ciências Aplicadas em Saúde da Universidade de Vassouras, Vassouras-RJ, Brasil

Carlos Eduardo Cardoso, Doutor em Ciências (Química Analítica) pela PUC-RJ, Professor do Mestrado Profissional em Ciências Aplicadas em Saúde da Universidade de Vassouras, Vassouras-RJ, Brasil

Doutor em Ciências (Química Analítica) pela PUC-RJ, Professor do Mestrado Profissional em Ciências Aplicadas em Saúde da Universidade de Vassouras, Vassouras-RJ, Brasil

Marco Aurélio dos Santos Silva, Doutor em Ciências (Biologia Humana e Experimental – BHEx) pela UERJ, Professor do Mestrado Profissional em Ciências Aplicadas em Saúde da Universidade de Vassouras, Vassouras-RJ, Brasil

Doutor em Ciências (Biologia Humana e Experimental – BHEx) pela UERJ, Professor do Mestrado Profissional em Ciências Aplicadas em Saúde da Universidade de Vassouras, Vassouras-RJ, Brasil

Publicado
2019-12-11
Seção
Artigos de Demanda Contínua