A atuação do psicólogo hospitalar frente aos familiares do paciente com morte iminente

  • Letícia Sobreira Cezário Universidade de Vassouras
  • Juliana Fernandes de Souza Ribeiro

Resumo

O presente trabalho demonstra como a morte está presente em diferentes culturas e momentos históricos, ressaltando que a forma de encará-la está associada a crenças, rituais e religiões. A família diante da terminalidade pode sofrer desajustes no que diz respeito a sua estrutura física, econômica e emocional. A vivência do luto antes ou após a morte de um familiar pode ser perpassada em diferentes etapas do luto: negação, raiva, barganha, depressão e aceitação. O trabalho procura destacar a importância da atuação do psicólogo junto aos familiares do paciente em situação de morte iminente que visa promover o acolhimento do sofrimento desses familiares, em um cenário em que muitas vezes, apenas o paciente é priorizado. O artigo exemplifica a vivência da morte na família através do filme “Uma prova de amor” de Nick Cassavetes, apresentando uma articulação da teoria em um contexto prático onde toda família de forma direta e/ou indireta é afetada pelo adoecimento grave de um ente querido.

Palavras-chave: Família, Morte, Psicologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-11
Seção
Artigos de Demanda Contínua