Benefícios da dança de salão na imagem corporal das mulheres histerectomizadas

  • Letícia Sampaio Guida Universidade de Vassouras
  • Maria Clara de Mello Andrade Universidade de Vassouras.

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo investigar os benefícios da dança de salão em mulheres que realizaram a cirurgia de histerectomia. Esse procedimento pode ser muito desgastante para a maioria das mulheres, uma vez que pode trazer efeitos subjetivos relacionados à sexualidade. A dança de salão pode ser benéfica para quase todas as pessoas, e, principalmente para a população supracitada, auxiliando na reconstrução da imagem corporal, refletindo em sua qualidade de vida. Por esse motivo, nas intervenções psicológicas, o profissional de Psicologia deve indicar a suas pacientes histerectomizadas esse tipo de atividade.  O estudo se justifica pelo grande número de mulheres que passam por este tipo de cirurgia e enfrentam toda uma gama de problemas daí advindos, no Brasil e no mundo. O trabalho foi desenvolvido por meio de revisão de literatura numa abordagem qualitativa, observando que a dança de salão contribui para que a mulher tenha uma melhor qualidade de vida, desenvolvendo uma autoimagem mais favorável. Dessa maneira, o profissional de Psicologia, nas intervenções psicológicas, com mulheres histerectomizadas, deve incentivar suas pacientes para as práticas de dança de salão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Letícia Sampaio Guida, Universidade de Vassouras
Graduanda do curso de Psicologia da Universidade de Vassouras.
Maria Clara de Mello Andrade, Universidade de Vassouras.
Mestre em Psicologia, professora do curso de Psicologia da Universidade de Vassouras.

Referências

ABREU Everton Vieira; PEREIRA, Luciene Therezinha Zermiani; KESSLER, Edio José. Timidez e motivação em indivíduos praticantes de dança de salão. Revista Conexões; v.6, p.21-33, 2008.

ALMEIDA, Cleuza Maria de. Um Olhar sobre a Prática da Dança de Salão. Movimento e Percepção, Espírito Santo do Pinhal, v.5, n.6, p.129-134, 2005.

CASH, Thomas F; PRUZINSKY, Thomas. (ed.) Body image: A handbook of theory, research, and clinical practice. New York: Guilford Publications, 2004.

DATASUS (Departamento de Informática do SUS), Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH/ SUS). (2012). Disponível em:< http://www.datasus.gov.br>. Acesso em: 25 jan. 2019.

ELLMERICH, Luís. História da Dança. São Paulo: Nacional, 2007.

FONSECA, Cristiane Costa; GAMA, Eliane Florencio. Esquema Corporal, Imagem Corporal e Aspectos Motivacionais na Dança de Salão. Dissertação de Mestrado em Educação Física – Faculdade de Educação Física, Universidade São Judas Tadeu, São Paulo, 2008.

FONSECA, Cristiane Costa; VECCHI, Rodrigo Luiz; GAMA, Eliane Florêncio. A influência da dança de salão na percepção corporal. Motriz, Rio Claro, v.18 n.1, p.200-207, jan./mar. 2012.

GAION, Aparecida Bernadete. Dança de Salão: Qualidade de vida e integração. 2011. Disponível em: http://web.unifil.br/docs/extensao/II/20_Danca%20de%20salao.pdf. Acesso em: 29 jan. 2019.

JAMARINO, Amanda Maria. Análise da percepção corporal e sexual de mulheres histerectomizadas. Trabalho de Conclusão de Curso. Enfermagem. Centro Regional Universitário de Espírito Santo do Pinhal, SP, 2009.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

ROSA NETO, Armindo. Imagem Corporal, Esquema Corporal e Destreza Manual em Adolescentes Deficientes Visuais. Dissertação de Mestrado em Educação Física – Faculdade de Educação Física, Universidade São Judas Tadeu, São Paulo, 2009.

SALVADOR, Rachel Torres; VARGENS, Octávio Muniz da Costa, PROGIANTI, Jane Márcia. Sexualidade e histerectomia: mitos e realidade. Rev Gaucha Enferm.; v.29, n.2, p. 320-323, 2008.

SANTANA, Susana; CORRADINI, Amanda; CARNEIRO, Roberta Helena. A dança de salão e seus benefícios motores, cognitivos e sociais. Anuário da produção de iniciação cientifica discente; v.12, n.15, p.83-104, 2009.

SBROGGIO, Adriana Magrin Rivera; OSIS, Maria José Martins Duarte; BEDONE, Aloísio José. O significado da retirada do útero para as mulheres: um estudo qualitativo. Rev Assoc Med Bras.; v.51, n.5, p.270-274, 2005.

SBROGGIO, Adriana Magrin Rivera. Autopercepção corpórea e sexual de mulheres submetidas à histerectomia. Tese de Doutorado. Unicamp, Campinas, SP, 2008.

SBROGGIO, Adriana Magrin Rivera; GIRALDO, Paulo César; GONÇALVES, Ana Katherine da Silveira. A preservação da feminilidade após a remoção do útero. Revista Moreira JR; v.12, n.5, p.260-263, 2008.

SHIBUKAWA, Rodrigo Massami; GUIMARÃES, Adriana Coutinho de Azevedo; MACHADO, Zênite; SOARES, Amanda. Motivos da Prática de Dança de Salão em Escolas Particulares. Rev. bras. Educ. Fís. Esporte, São Paulo, v.25, n.1, p.19-26, jan./mar. 2011.

SILVA, Carolina de Mendonça Coutinho; SANTOS, Inês Maria Meneses dos; VARGENS, Octávio Muniz da Costa. A repercussão da histerectomia na vida de mulheres em idade reprodutiva. Esc Anna Nery Rev Enferm; v.14, n.1, p.76-82, jan-mar 2010.

TONELI, Poliana Dutra. Dança de salão: instrumento para a qualidade de vida no trabalho. Bacharelato em Administração. Instituto Municipal de Ensino Superior de Assis, Assis, São Paulo, 2007.

VILLAR, Alana; SILVA, Leila. Os sentimentos de mulheres submetidas à histerectomia e a interferência na saúde sexual. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online; v.27, n.6, 2009.

ZANIBONI, Lilian; CARVALHO, Armando Gonçalves. Dança de Salão: Uma Possibilidade de Linguagem, Revista Conexões, Campinas, v.5, n.1, p.86-102, 2007.

Publicado
2020-03-11
Seção
Artigos de Demanda Contínua