O psicólogo na Estratégia Saúde da Família: possibilidades de atuação e desafios

Palavras-chave: Atenção Primária à Saúde, saúde mental, Sistema Único de Saúde

Resumo

A Estratégia Saúde da Família (ESF) possibilita aumentar a orientação, prevenção e promoção à saúde, contudo algumas melhorias ainda são necessárias. Entre tais avanços, estão aqueles relativos aos cuidados em saúde mental da população brasileira. Desse modo, o objetivo desse trabalho foi estudar as possibilidades de atuação e os desafios dos psicólogos na ESF. Para tal, foi realizada uma pesquisa bibliográfica em websites institucionais e aqueles com acesso a bases de dados contendo trabalhos científicos, como Google Acadêmico e BIREME. Para a busca de bibliografia, foram utilizadas, entre outras, as seguintes expressões: atuação do psicólogo; Estratégia Saúde da Família; formação do psicólogo; psicopatologias; saúde mental; e Unidade Básica de Saúde. Posteriormente, as informações obtidas foram analisadas. Os psicólogos podem atuar na ESF de vários modos, proporcionando a prevenção de doenças e reduzindo problemas psicológicos e físicos nos pacientes. Podem atuar em grupos ou prestar atendimentos individuais. Sua atuação frente aos problemas internos da equipe da ESF também é bastante importante. Para aumentar a eficiência na promoção à saúde mental é necessário aprimorar a formação dos psicólogos, melhorar a infraestrutura dos locais de atendimento e o transporte dos profissionais, superar preconceitos relativos ao trabalho dos psicólogos e disseminar e reconhecer a importância da atuação desses profissionais e aprimorar o sistema de funcionamento da ESF. Devido aos inúmeros benefícios advindos da atuação dos psicólogos para a sociedade, sugere-se a existência de normas que garantam a presença obrigatória de psicólogos na ESF.

Biografia do Autor

Nathalia dos Santos Silva Almeida, Universidade de Vassouras

Departamento de Ciências Humanas

Área: Psicologia 

Roberta Barbosa da Silva, Universidade de Vassouras, Departamento de Ciências Humanas

Departamento de Ciências Humanas 

Área: Psicologia 

Referências

ALMEIDA, R.A.; MALAGRIS, L.E.N. A prática da psicologia da saúde. Revista da SBPH, v.14, n.2, p.183-202, 2011.

AZEVEDO, R.C.S.; HIGA, C.M.H.; ASSUMPÇÃO, I.S.M.A.; FRAZATTO, C.R.G.; FERNANDES, R.F.; GOULART, W.; BOTEGA, N.J.; BOSCOLO, M.M.; SARTORI, R.M. Grupo terapêutico para tabagistas: resultados após seguimento de dois anos. Revista da Associação Médica Brasileira, v.55, n.5, p.593-596, 2009.

BRASIL. Saúde da Família: uma estratégia para a reorientação do modelo assistencial. Brasília. Ministério da Saúde, 1997. 36p.

BRASIL. Funções da Atenção Básica nas Redes de Atenção a Saúde. Disponível em: <http://dab.saude.gov.br/portaldab/smp_ras.php?conteudo=funcoes_ab_ras>. Acesso em: 17 de novembro de 2018 a.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Portal Brasileiro de Dados Abertos. Disponível em: http://dados.gov.br/dataset/unidades-basicas-de-saude-ubs. Acessado em: 16 jul. 2018 b.

BRASIL. UBS – Unidade Básica de Saúde. Disponível em: http://www.pac.gov.br/infraestrutura-social-e-urbana/ubs-unidade-basica-de-saude. Acesso em: 02 de janeiro de 2019.

BUHLER, D.N.C. O espaço da psicologia na saúde do trabalho na rede pública de saúde. O espaço da psicologia da saúde do trabalhador na rede pública de saúde. Programa de Pós-Graduação Lato Senso em Gestão de Organização Pública em Saúde-EAD. Universidade Federal de Santa Maria. 2011, 24p.

BUSS, P.M. Globalização, pobreza e saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v.12., n.6, p.575-1589, 2007.

CEZAR, P.K.; RODRIGUES, P.M.; ARPINI, D.M. A psicologia na Estratégia de Saúde da Família: vivências da residência multiprofissional. Psicologia: ciência e profissão, v.35, n.1, p.211-224, 2015.

CINTRA, M.S.; BERNARDO, M.H. Atuação do Psicólogo na Atenção Básica do SUS e a Psicologia Social. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 37 n.4, p.883-896, 2017.

DIMENSTEIN, M.D.B. O psicólogo nas Unidades Básicas de Saúde: desafios para a

formação e atuação profissionais. Estudo de Psicologia, v.3, n.1, p.53-81, 1998.

DIOGENES, J.; PONTES, R.J.S. A Atuação do Psicólogo na Estratégia Saúde da Família: Articulações Teóricas e Práticas do Olhar Gestáltico. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 36, n. 1, p.158-170, 2016.

FERMINO, J.M.; PATRICIO, Z.M.; KRAWULSKI, E.; SISSON, M.C. Atuação de psicólogos no Programa de Saúde da Família: o cotidiano de trabalho oportunizando repensar a formação e as práticas profissionais. Aletheia, n.30, p.113-128, 2009.

FERNANDES, M.A.; RIBEIRO, H.K.P.; SANTOS, J.D.M.; MONTEIRO, C.F.S.; COSTA, R.S.; SOARES, R.F.S. Prevalência dos transtornos de ansiedade como causa de afastamento de trabalhadores. Revista Brasileira de Enfermagem, v.71, n.5, p.2213-2220, 2018.

GIACOMOZZI, C.M.; LACERDA, M.R. A prática da assistência domiciliar dos profissionais da Estratégia de Saúde da Família. Texto & Contexto - Enfermagem, v.15, n.4, p. 645-53, 2006.

GOMES, M.C.P.A; PINHEIRO, R. Acolhimento e vínculo: práticas de Acolhimento e vínculo: integralidade na gestão do cuidado em saúde em grandes centros urbanos. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, v.9, n.17, p.287-301, 2005.

HIRATA, E.S. Estigma e depressão. Revista Brasileira de Medicina, v.71, p.3-15, 2015.

KLEIN, M.M.S.; GUEDES, C.R. Intervenção psicológica a gestantes: contribuições do grupo de suporte para a promoção da saúde. Psicologia Ciência e Profissão, v.28, n.4, p.862-871, 2008.

LEITE, R.F.B.; VELOSO. T.M.G. Trabalho em Equipe: Representações Sociais de

Profissionais do PSF. Psicologia Ciência e Profissão, v.28, n.2, p.374-389, 2008.

LOCH-NECKEL, G.; SEEMANN, G.; EIDT, H.B.; RABUSKE, M.M.; CREPALDI, M.A. Desafios para a ação interdisciplinar na atenção básica: implicações relativas à composição das equipes de saúde da família. Ciência & Saúde Coletiva, v.14, n.1, p.1463-1472, 2009.

LOUVISON, M.C.P.; LEBRÃO, M.L.; DUARTE, Y.A.O.; SANTOS, J.L.F.; MALIK, A.M.; ALMEIDA, E.S. Desigualdades no uso e acesso aos serviços de saúde entre idosos do município de São Paulo. Revista de Saúde Pública, v.42, n.4, p.733-40, 2008.

MACARINI, S.M.; CREPALDI, M.A.; VIEIRA, M.L. A questão da parentalidade: contribuições para o trabalho do psicólogo na terapia de famílias com filhos pequenos. Pensando Famílias, v.20, n.2, p. 27-42, 2016.

MACEDO, J.P.; DIMENSTEIN, M. Psicologia e a produção do cuidado no campo do bem-estar social. Psicologia & Sociedade, v.21, n.3, p.293-300, 2009.

MACEDO, J.P., DIMENSTEIN, M. O trabalho dos psicólogos nas políticas sociais no Brasil. Avances en Psicología Latinoamericana, v.30, n.1, p.182-192, 2012.

MACIEL, M.E. A equipe de saúde da família e o portador de transtorno mental: relato de uma experiência. Cogitare Enferm, v.13, n.3, p.453-6, 2008.

MACHADO, M.H. Mercado de trabalho em saúde. In: FALCÃO, A.; SANTOS NETO, P.M.; COSTA, P.S.; BELISÁRIO, A.S. Org. Observatório de recursos humanos em saúde no Brasil: estudos e análises. Rio de Janeiro: Fiocruz; p.227-248, 2003.

MARQUES, A.A.D.V.; OLIVEIRA, R.W. Possíveis contribuições da psicologia na estratégia de saúde da família: interdisciplinaridade entre fazeres e saberes. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, v.6, n.2, p.39-58, dez. 2015.

MARTINS, J.S.; ABREU, S.C.C; QUEVEDO, M.P.; BOURGET, M.M.M. Estudo comparativo entre Unidades de Saúde com e sem Estratégia Saúde da Família por meio do PCATool. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, v. 11, n.38, p.1-13, 2016.

MENDONCA, C.S. Saúde da Família, agora mais do que nunca! Ciência & Saúde Coletiva, v.14, n.1, p.1493-1497, 2009.

MERLO, A.R.C.; JACQUES, M.G.C.; HOEFEL, M.G.L. Trabalho de grupo com portadores de Ler/Dort: relato de experiência. Psicologia: Reflexão e Crítica, v.14. n.1, p.253-258, 2001.

MOREIRA, K.S.; LIMA, C.A.; VIEIRA, M.A.; COSTA, S.M. Avaliação da infraestrutura das unidades de saúde da família e equipamentos para ações na atenção básica. Cogitare Enfermagem, v.22, n.2, e51283, 2017.

MORENO, G.M.B.; SOARES, M.Q.S.; PAGANI, R.; FARIAS, A.M.; SCORSAFAVA, A.T.; SIMÃO, V.S.; BRANDÃO, I.R. A inserção da psicologia na estratégia saúde da família em Sobral/CE (relato de experiência). Sanare, v.5, n.1, p.78-84, 2004.

NASCIMENTO, E.P.L.; CORREA, C.R.S. O agente comunitário de saúde: formação, inserção e práticas. Cadernos de Saúde Pública, v.24, n.6, p.1304-1313, 2008.

NEPOMUCENO, L.B.; BRANDÃO, I.R. Psicólogos na Estratégia Saúde da Família: caminhos percorridos e desafios a superar. Psicologia: Ciência e Profissão, v.31, n.4, p.762-777, 2011.

OLIVEIRA, I.F.; DANTAS, C.M.B.; COSTA, A.L.F.; SILVA, F.L.; ALVERGA, A.R.; CARVALHO, D.B.; YAMAMOTO, O.H. O psicólogo nas unidades básicas de saúde: formação acadêmica e prática profissional. Interações, v.9, n. 17, p. 71-89, jun. 2004.

OLIVEIRA, I.F.; SILVA, F.L.; YAMAMOTO, O.H. A psicologia no Programa de Saúde da Família (PSF) em Natal: espaço a ser conquistado ou um limite da prática psicológica? Aletheia, n.25, p.05-19, 2007.

PADILHA, M.G.S.; GOMIDE, P.I.C. Descrição de um processo terapêutico em grupo para adolescentes vítimas de abuso sexual. Estudos de Psicologia, v.9, n.1, p.53-61, 2004.

ROCHA, P.M.; UCHOA, A.C.; ROCHA, N.S.P.D.; SOUZA, E.C.F.; ROCHA, M.L.; PINHEIRO, T.X.A. Avaliação do Programa Saúde da Família em municípios do Nordeste brasileiro: velhos e novos desafios. Caderno de Saúde Pública, v.24, n.1, p.S69-S78, 2008.

SANTOS, N.C.C.B.; VAZ, E.M.C.; NOGUEIRA, J. A.; TOSO, B.R.G.O.; COLLET, N.; REICHERT, A.P.S.; Presença e extensão dos atributos de atenção primária à saúde da criança em distintos modelos de cuidado. Cadernos de Saúde Pública, v.34, n.1, p.1-126, 2018.

SILVA, M.O.S. Os programas de transferência de renda e a pobreza no Brasil: superação ou regulação? Revista de Políticas Públicas, v. 9, n. 1, p.251-278, 2005.

SOUZA, L.V.; SANTOS, M.A. Processo grupal e atuação do psicólogo na atenção primária à saúde. Journal of Human Growth and Development, v.22, n.3, p.388-395, 2012.

TEIXEIRA, M.R.; COUTO, M.C.V.; DELGADO, P.G.G. Atenção básica e cuidado colaborativo na atenção psicossocial de crianças e adolescentes: facilitadores e barreiras. Ciência & Saúde Coletiva, v.22, n.6, p.1933-1942, 2017.

TEIXEIRA, C.R.S.; ZANETTI, M.L. O trabalho multiprofissional com grupo de diabéticos. Revista Brasileira de Enfermagem, v.59, n.6, p.812-817, 2006.

TIVERON, J.D.P.; GUANAES-LORENZI, C. Tensões do Trabalho com Grupos na Estratégia Saúde da Família. Psico, v. 44, n. 3, pp. 391-401, 2013.

TRAVASSOS, C.; VIACAVA, F. Acesso e uso de serviços de saúde em idosos residentes em áreas rurais, Brasil, 1998 e 2003. Cadernos de Saúde Pública, v.23, n.10, p.2490-2502, 2007.

Publicado
2019-06-25
Seção
Artigos de Demanda Contínua