Relato de Experiência: Conhecimento Populacional Sobre o Retinoblastoma

Resumo

A Liga Acadêmica de Oncologia da Universidade de Vassouras (LAOUV), possui dentre suas atividades de extensão, a realização de feiras de saúde. Um dos temas abordados em relação à oncologia pediátrica é o retinoblastoma, o tumor maligno intraocular mais comum da infância. Embora corresponda a cerca de 3% das neoplasias malignas infantis nos países desenvolvidos, há evidências de que, nos países em desenvolvimento, ocorra em maior frequência. Nestes, não é raro que o diagnóstico seja feito tardiamente, quando a doença já apresenta disseminação extraocular, resultando em pior prognóstico. O principal sinal do retinoblastoma é a leucocoria, também chamada de reflexo do olho do gato. O presente trabalho consiste em um relato de experiência sobre uma feira de saúde realizada pela LAOUV, no centro de Vassouras (RJ), no ano de 2017 em homenagem ao Setembro Dourado, mês da conscientização sobre o câncer infanto-juvenil. Foram entrevistados 47 transeuntes, entre eles 59,6% não possuíam conhecimento sobre nenhum tipo de câncer pediátrico; dos 40,4% que tinham ciência, 84,2% citaram como exemplo leucemia e 21%, retinoblastoma. Dos 25,5% que responderam sobre o tipo de câncer mais prevalente na infância, 83,3% referiram leucemia, e os demais, retinoblastoma. 25,53% afirmaram ter alguma informação sobre o retinoblastoma, destes, 75% souberam esclarecer o que é a doença. Em suma, constata-se que a informação da população em relação às neoplasias pediátricas ainda é escassa. No que diz respeito ao retinoblastoma, a falta de conhecimento pode prejudicar o diagnóstico precoce trazendo sérias consequências para a saúde dessas crianças.

Biografia do Autor

Nathalia Gomes da Silva, Universidade de Vassouras

Estudante de Medicina da Universidade de Vassouras

Publicado
2019-06-13
Seção
Relato de Caso de Projeto de Extensão